quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Fogueira das Vaidades

Todos nós desenvolvemos alguma vaidade na vida e o cuidado que devemos destinar é somente para que este fogo de vida não termine nos queimando, pois o que pode ser uma atitude de melhoria, termina se transformando numa situação ruim e que nos destrói verdadeiramente, sem termos chances de sair deste atropelo terrível.
A fogueira das vaidades é algo que existe muito facilmente para aqueles que não conseguem distinguir o que é sadio do que é doentio e caem na própria armadilha de maneira descontrolada, onde cada passo é realizado com o intuito de menosprezar as pequenas coisas que temos e que afetam constantemente as nossas relações, pois ao invés de cultivarmos a vaidade boa, terminamos aumentando tudo que é ruim e que não representa nenhum fruto para nós.
Quando estamos envoltos no fogo da vaidade, esquecemos que um mundo existe ao nosso redor e que precisamos enxergar a beleza de cada situação, sem que para isso esqueçamos o real valor das coisas e de tudo que nos cerca e nos influencia. A sabedoria de entender as limitações da vida, destinando esforços para que tudo se transforme em belezas naturais, seja de que ótica for, é essencial para que saibamos apropriar a nossa mente de verdades edificantes e não somente com o que nos acomete de forma maligna e sem o mínimo de direcionamento, o qual é preciso para que tenhamos a certeza de melhores ações e dias mais gloriosos.
Queimar toda a nossa atitude e sabedoria, somente por acharmos que a vaidade é o princípio de tudo e que nada é tão importante que não possa ser considerado, é muito desgastante e só afeta a nossa elevação mental que vai a cada dia ficando mais pendente de melhorias e padecendo das pequenas coisas que a vaidade excessiva nos cega e nos faz escravos.
Queimar toda a vaidade desnecessária é grandioso e limpa totalmente o nosso espírito, nos deixando livres para as novas descobertas da vida e para tudo que é bom e realmente válido para os nossos dias já tão aquecidos de coisas ruins e sem fundamento.

0 comentários:

Postar um comentário