sábado, 18 de junho de 2016

Pode Passar da Linha?

Trabalho numa área em que as pessoas assinam muitos documentos e geralmente me deparo com a seguinte pergunta: Posso passar da linha?
Sempre me assusto com a pergunta, não sei se porque eu sempre ultrapasso as linhas quando assino documentos ou porque não entendo o motivo da pergunta tão banal, já que sabemos que a maioria das linhas que existem em formulários são apenas para dar um norte e não para disciplinar uma atividade tão simples e costumeira que todos nós realizamos.
Já encontrei pessoas que não sabiam onde assinar porque nos formulários não tinham as linhas e somente os nomes deles. Ficaram olhando, olhando, pararam no tempo, e depois me perguntaram: Assino onde mesmo?
É certo que alguns formulários possuem lugar específico para assinatura, mas outros não e podem ter o visto em qualquer lugar que a validade será a mesma. A assinatura fala muito da pessoa e demonstra se ela é vaidosa, tímida, desorganizada ou tem tendências depressivas. O fato de alguém ficar perdido pelo simples fato de não ter uma linha para guiar o seu ato é bem característico de quem não possui desejo próprio no que faz e precisa ser sempre conduzido para fazer qualquer coisa, mesmo que sejam simples.
A criatividade é muito baixa nestas pessoas e em determinados casos ficam com uma atividade parada somente esperando uma instrução que já tiveram mas que não foram capazes de assimilar de uma forma plena, já que estavam esperando alguém dar um fio condutor para que pudessem seguir em frente.
Alguns enxergam sem linhas, conseguem ver o mundo de uma forma mais clara, sem interferências. Outros necessitam ter um amparo constante para poderem iniciar algo e tirar o pé do chão.
A linha da vida nunca deve ser vista como um impedimento e somente como uma ideia do que temos para nós. A partir de um traço imaginário podemos criar várias possibilidades e não precisamos ficar esperando que uma linha fixa nos deixe bloqueados para tudo mais que ainda iremos viver e construir.
Somos bem mais que uma linha pequena e que não permite a nossa evolução criativa. A liberdade de pensamento deve existir mesmo nos momentos em que estivermos achando que o nosso caminho acabou.

0 comentários:

Postar um comentário