terça-feira, 14 de junho de 2016

O Anterior era Melhor

Já perceberam como geralmente as pessoas têm o dom de qualificar como melhores os antecessores?
Meu antigo colega de trabalho era mais competente; minha antiga empregada era mais organizada; meu antigo carro era mais econômico; meu isso, meu aquilo...
Estas são apenas algumas das frases que escutamos diariamente e que terminam nos causando um pouco de estranheza em determinados momentos, pois ficamos sem entender realmente o que presta ou não.
O que está vigorando não é suficientemente válido e isso é reflexo da forma que temos de julgar friamente o que está ao nosso lado e colocar em panos mornos aqueles que "morreram" ou deixaram de realizar alguma atividade ou de contribuir para as nossas vidas sociais. Temos o costume de comparar os acontecimentos atuais com os que estiveram no passado, sempre esperando que o resultado seja o mesmo, criando dentro de nós uma expectativa que muitas vezes não se concretiza e nem nos satisfaz.
Cada indivíduo tem a capacidade de realizar seus atos, da sua maneira, sempre deixando o seu jeitinho pessoal naquilo que realizou. É esse detalhe que faz com que as pessoas comecem a comparar as atitudes e os resultados, criando dentro de si a impressão de que o que estava no passado tinha maior vigor ou destaque. 
Nem sempre é assim...
Muitas vezes o costume que já tínhamos com determinadas pessoas ou situações bloqueiam a nossa mente para receber o novo, fazendo com que a impressão seja errônea para o que iremos desfrutar, nos deixando cada dia mais presos ao passado e sem chances para observar o novo, que pode ser muito bom também.
Quando mudar algo, analise bem, faça com cautela e evite ficar tendo arrependimentos desnecessários e que não agregam valor às nossas vidas.
O sucessor pode ser ótimo também!
Tudo é uma questão de percepção e gosto e isso pode influenciar negativamente um aspecto muito favorável e que teve má avaliação devido ao olhar improvável de quem não teve a paciência e cuidado de entender como tudo realmente funcionava.

0 comentários:

Postar um comentário