quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Jogo do Contra

A felicidade é um estado de espírito que é comum a todos, embora possamos estar em alguns momentos da nossa vida passando por situações que não nos fazem perceber a satisfação que guardamos dentro de nós e por isso ficamos tendenciosos a reclamar mais e a esperar que os outros também passem por aquele momento ruim de insatisfação e negatividade.
É aquela velha história...
Se eu estou bem, ótimo; se não estou, desejo que todos se lasquem também!
Vejo muito isso e fico só observando as atitudes das pessoas egoístas que só desejam ao mal para os outros quando não estão numa situação confortável nas suas próprias vidas. Não temos que desejar o mal para os outros e ficar com melancolias e negatividades gratuitas quando estamos passando por alguma fase nossa e de onde temos que achar a saída de uma forma boa e menos desgastante.
Se não posso fazer isso ou aquilo por falta de dinheiro ou não tenho tempo para aproveitar a vida como os demais fazem, não tenho que ficar agourando a vida de ninguém e imaginando que as piores situações irão acontecer somente pelo fato de eu não poder estar por perto aproveitando também.
Quando desejamos o bem, independente da situação que passamos, criamos uma sensação boa de positividade e que traz para todos nós uma impressão boa de ter bons momentos sempre em desenvolvimento e com muita alegria. Se hoje não posso fazer isso ou aquilo, amanhã poderei e terei a felicidade igual aos outros ou ainda melhor. Não adianta ficar irradiando o pessimismo para quem não tem nada a ver com as nossas desgraças e ao invés de tomar uma atitude tão ruim, o melhor é analisar o que nos levou a ficar desta forma tão danosa e agir para a melhoria dos fatos, saindo de uma vez do desgaste tão falado e anunciado para todos, com atitudes e formas de olhar e agir.
Quem toma atitudes do tipo, na verdade, desenvolve uma inveja mascarada, mas latente e que nunca deixa de incomodar e nem faz com que a evolução como pessoa possa ocorrer, já que a preocupação maior não é com a evolução e sim com a preocupação com os que os outros estão fazendo e que nos incomoda profundamente, já que não nos programamos para estarmos no mesmo patamar e, assim, termos mais satisfação na vida.
Jogo do contra não vale...

0 comentários:

Postar um comentário