quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Trabalho (só) para isso...

Trabalhar para isso é bem diferente de Trabalhar SÓ para isso...
Muitas despesas não refletem a capacidade econômica das pessoas e se isso não for bem observado, ficaremos cada vez mais incapacitados de conquistar o que desejamos, tamanha é a nossa insuficiência de gerar um bom resultado nas nossas despesas que terminam ficando no vermelho e nos causando prejuízos que não acabam.
Não adianta comprar um celular de última geração quando este tem o preço dez vezes maior que o meu líquido salarial, pois como todos sabem (será?) o salário bruto é bem diferente do líquido e salário nominal não significa remuneração.
A confusão começa justamente quando gastamos mais do que recebemos e terminamos gerando um descontrole geral e crescente nos nossos pagamentos, sem que seja possível suprir o nosso erro, num curto espaço de tempo.
Bom e saudável é gastar abaixo do que ganhamos e se possível evitar ao máximo os parcelamentos no cartão de crédito, pois as armadilhas que vão ocorrendo, até a quitação geral dos valores que compramos, fazem com que a nossa renda vá ficando comprometida e faça com que a sensação de desgaste seja bem maior, já que ficamos trabalhando só para pagar contas e sem nunca ter uma sobra para aproveitar melhor a vida com outras atividades que nos tiram o cansaço diário.
Muita gente fala: "Gasto porque trabalho para isso..." 
Quem fala tem razão em parte e concordo até o ponto do merecimento, pois é saudável nos valorizarmos com aquisições que são fruto do nosso trabalho. O que não concordo é deixar que o comprometimento da renda seja total para esse merecimento, pois o que era para ser uma dádiva, termina se transformando numa dor de cabeça sem fim. Analisar cada compra que realizamos é tarefa fácil de ser feita e basta observarmos o que temos de necessidade real para efetuarmos nossas aquisições, pois se um pouco de atenção for dada, veremos que fazemos mais compras desnecessárias do que realmente primordiais e beneficiadoras.
Vamos trabalhar para isso, sem que ISSO se torne uma compulsão e nos deixe sufocados e sem chances de aproveitar os frutos do nosso trabalho.

0 comentários:

Postar um comentário