quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Tudo Pela Metade

Inaugurar obras sem que as mesmas tenham sido finalizadas agora é moda e só denota o descaso realizado com o dinheiro público que termina sendo jogado no lixo, já que algumas realizações terminam ficando muito tempo sem manutenção e para que sejam terminadas, além dos reparos de costume, devem ser levadas em consideração as ações dos vândalos, que destroem tudo e fazem com que as obras tenham que ter um novo início, gerando mais custos e demoras.
As linhas do BRT aqui no Recife estão vergonhosas e cheias de problemas estruturais, tanto causados pelas construtoras incompetentes, quanto pela população mal educada, que destrói tudo de maneira constante.
O Cais do Sertão é outro exemplo e o que falta para terminar é bem significativo para o valor da obra, que está se deteriorando aos poucos. Instalaram uma central de ar condicionado que não está sendo usada e que fica exposta ao sol e chuva, somente gerando problemas que serão bem mais difíceis de serem resolvidos no futuro.
A reforma dos galpões do Porto do Recife também estão entregues ao esquecimento e ficam cada dia mais feias e com acúmulos de construção que não agregam nada e só fazem a paisagem ficar ruim e sem atrativo turístico.
As obras da Avenida Caxangá e o infiltrado Túnel da Abolição só mostram como o dinheiro mal empregado pode gerar transtornos, pois a situação é caótica e não gera melhorias para aqueles que circulam diariamente pelos locais. A avenida está cheia de obras e o túnel foi entregue cheio de infiltrações e com vias confusas e que terminam deixando as pessoas confusas na hora de realizar algum retorno. Só serviu para isolar o Museu da Abolição que agora agoniza ainda mais e dificulta a circulação de quem deseja conhecer o espaço.
Andando mais um pouco, podemos encontrar a Via Mangue, proposta como solução para o trânsito caótico do bairro de Boa Viagem, a qual está há algum tempo com uma das vias inacabada e a que foi inaugurada sempre tem ficado às escuras, deixando apreensivos aqueles que passam pelo local em determinadas horas da noite e madrugada.
A BR 101 Sul, que circula a cidade do Recife e Jaboatão, está entregue ao descaso e cheia de problemas que só fazem com que os buracos cresçam e ofereçam mais riscos à população e condutores de veículos.
Se formos analisar todas as situações, há má administração nas três esferas e o dinheiro é jogado fora de todo jeito, mostrando que nada funciona bem neste país da confusão, onde a corrupção é grandiosa e aflige todos nós.
"Eu faço tudo pela metade..."

Texto inspirado na música "Tudo Pela Metade", da Marisa Monte e Nando Reis

0 comentários:

Postar um comentário