quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Final de Tudo

Todo fim de ano é a mesma coisa e pensamos que os últimos dias do ano serão a redenção dos nossos erros e que o início do ano será o advento de boas novas e ótimas situações.
Nada disso...
Não é porque o calendário aponta para mais um ano que tudo vai ficar claro e bonitinho na nossa frente. As nossas atitudes podem reverberar por muito tempo e fazem com que muitas das nossas ações sejam sentidas por meses, anos, séculos, infinitamente.
Temos que agir todos os dias como se este fosse o decisivo e pensar que cada atitude nos trará boas referências, nunca nos deixando à deriva e sem chances de melhoria e satisfação. Se pensarmos sempre em agir corretamente só amanhã, no mês que vem ou no ano que vem, iremos ficar cada vez mais inadequados aos nossos dias e faremos o caminho contrário do sucesso que sempre esperamos para nós.
O final de tudo é quando não temos mais chances de evolução e isso dificilmente ocorre, pois se observarmos bem sempre há uma chance de mudança, ainda que esta não traga a satisfação e reconstituição plena do que antes existia. Para o fim existir mesmo, deveremos estar totalmente descompromissados com o que existe e sem o mínimo de apego ao que fazemos e desejamos para nós e para os outros. Deixar tudo para amanhã e depois não é atitude de quem quer crescer e isso é algo que dificulta muito a melhoria das ações, seja a curto ou a longo prazos.
Quando queremos mudar algo de verdade, fazemos isso com afinco e sem pensar se é cedo ou tarde, já que estaremos pensando unicamente no sucesso e evolução dos fatos que nos interferem diariamente.
Que 2016 venha com boas influências e que cada dia seja de transformação e não de pensamentos vazios e sem atitude, pois se não tomarmos apego ao que é bom e satisfatório jamais deixaremos de lado essa terrível sensação de que os anos passam e nada muda.
O início do ano é mais um mês, igual a qualquer outro, mas que pode ser diferenciado se assim permitirmos. 

0 comentários:

Postar um comentário