quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Peculiar

Hoje os sabores bem característicos de determinadas regiões ou países podem ser conhecidos por todos nós e fica cada vez mais fácil apreciar os gostinhos que até então só víamos na TV ou em revistas especializadas.
Não tenho frescura com alimentação e desde que seja boa, provo com muita satisfação. Se gosto, acrescento no meu cardápio, mas se não me faz bem termino pegando abuso e não recomendando para aqueles que pedem minha opinião, mesmo sabendo que o paladar de cada um é diferente. Para falar a verdade, gosto muito da simplicidade e da fartura e nem me venham com estes pratinhos gourmet cheios de frescurinhas que vou torcer o nariz. A onda dos "food trucks" também trouxe um pouco da mistura dos pratos sofisticados e dos sabores de rua, os quais nem sempre possuem sabor e limpeza.
No final de semana passado fui a um restaurante mexicano e confesso que gostei em parte dos pratos apimentados que comi, já que no dia que o visitei era servido um rodízio com um pouco de cada prato que o restaurante oferecia. O local me ganhou pela beleza, pela decoração criativa e boa música que tocava, a qual tornava o ambiente animado e com o espírito quente que o México possui. Até foto com o sombrero mexicano eu registrei. A experiência tinha que ser completa!
O ruim foi que fiquei com fome e não consegui matar o meu desejo de mundiça no local, já que a pimenta excessiva e o sabor diferenciado dos pratos me fez enjoar de alguns itens, me deixando com uma leve dor de barriga e mal-estar. Meu fígado não é muito bom e o restaurante foi uma bala para ele, um tiro que me fez sentir os efeitos no outro dia, quando acordei com uma sensação terrível de inchaço.
Não digeri bem aquela novidade...
Percebi que o local é ótimo para um happy hour, um encontro rápido, uma pequena confraternização, daquelas que não necessariamente precisamos encher o bucho para saciar a nossa fome. É o tipo de comida que acho melhor petiscar e não comer com fartura.
O excesso de gordura, de temperos e de pimenta torna a degustação bem peculiar e faz com que tenhamos um pouco de aversão, que foi o que ocorreu comigo. Talvez um mexicano tenha a mesma sensação se vier comer um sarapatel ou uma feijoada aqui no Brasil e por isso considero a minha observação sobre a culinária mexicana muito relativa, já que a sensação minha pode não ser a de outros.
Ainda prefiro o espetinho com farofa da minha rua ou quem sabe a macaxeira com carne de sol de um restaurante que sempre frequento.
Delícias que não me deixam enjoado e nem com furos no estômago e no bolso, pois o restaurante o que tinha de lindo, carregava no preço também. Qualidade no cardápio nem sempre está associada ao preço, mas a satisfação do paladar é sempre lembrada se pagamos muito por algo que não nos agrada. Diferente seria se estivéssemos satisfeitos, pois o dinheiro estaria em segundo plano e a satisfação seria o fator mais interessante do momento, algo que jamais esqueceríamos e sempre faria parte das nossas escolhas.
Antes de apreciar novas culinárias, prove um pouquinho antes e não vá, como eu, se aventurar num rodízio de coisas desconhecidas. 
A sensação pode não ser muito boa...

0 comentários:

Postar um comentário