sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Céu, Terra e Casa‏

"O céu é meu pai. A terra a minha mãe. E o mundo inteiro é, tipo, a minha casa..."
Escutando a música "Casa", do Emicida, tive a inspiração para escrever um pouco hoje sobre a forma como interagimos com o mundo e como ele nos influencia de várias formas, já que extraímos dele as forças necessárias para viver bem e em harmonia com as outras pessoas que nos cercam.
Não podemos deixar que a nossa vida passe sem apego e determinar os melhores caminhos a seguir é bem melhor do que ficar olhando para o céu, plantados no chão e sem sair de casa para nada, sem buscar novas realidades que nos favoreçam e nos façam ter ideias grandiosas para abrir a nossa mente para as realidades que aparecem e nos fazem ter ótimas surpresas.
Não podemos ficar voando o tempo todo, mas também não é bom ficar parado na terra a maior parte do nosso tempo. Cabe um equilíbrio para sabermos o melhor momento de conquistarmos novas perspectivas e dessa forma abrir a nossa mente para o que é bom e necessário para cada um de nós, onde nenhuma sabedoria seja esquecida, deixando de contribuir para um contexto bem maior que é a nossa felicidade e fortalecimento.
Se o mundo é a nossa casa, o desfrute deste bem tão valioso é algo que precisa de sabedoria e prática diária, pois jamais saberemos identificar quais são as nossas melhorias de vida se não estivermos sempre conquistando novos espaços e fazendo o melhor para a nossa evolução.
A vida corre numa velocidade grandiosa e nunca temos capacidade de domá-la por completo, já que a rapidez dos acontecimentos é bem maior que a nossa restrita força humana, que pode ser grande se praticarmos diariamente a capacidade de inovar naquilo que já sabemos muito bem e que está relacionado a nossa vida simples e costumeira.
Não precisamos ter uma vida sofisticada, cheia de detalhes, mas precisamos ter uma vida com sabedoria, com alegria e determinação de sempre buscar o que é bom para os nossos pensamentos e atitudes.
Se o mundo é a nossa casa, desfrutemos deste bem tão valiosos de forma intensa e sem barreiras.

0 comentários:

Postar um comentário