quarta-feira, 24 de junho de 2015

Novas Direções

Após um período cansativo de atividades diversas, sinto que preciso de férias. Não para descansar, pois não consigo ficar parado por muito tempo, mas para vivenciar coisas novas e conhecer novos lugares. Nos últimos três meses já deu para perceber que o blog ficou meio esquecido e as postagens eram raras e aquela constância diária que eu tinha estava afastada. Pois bem, tive que me virar reformando a minha casa, fazendo atividades complementares e o estágio para a finalização do meu curso de Direito e ainda por cima ter que criar uma monografia, do zero, num prazo de 10 dias. 
Não me perguntem como consegui tudo, mas foi possível.
Nem eu imaginava que poderia conseguir tanto, mas com esforço e uma agenda programada para realizar muitas atividades, tive o resultado esperado e agora espero seguir novos caminhos, já que algumas metas foram conquistadas e a mente termina buscando outras perspectivas.
Diante disso tudo, percebi que temos que realizar algo sempre com o amparo dos melhores profissionais e isto quando falo lembro da reforma do meu apartamento, que era adiada e nunca conseguida e o motivo maior era a falta de coragem de quebrar tudo, de conseguir um bom pedreiro para fazer a empreitada e de passar a ter uma vida desordenada por algum tempo. Consegui e venci o medo. 
Percebi ainda que podemos viver com menos coisas do que imaginamos e que o fato de estar com tudo meu guardado, devido a obra, não me impedia de sobreviver com algumas peças de roupa e sem ter que usufruir de todos os itens que tenho em casa e que servem de divertimento nas horas mais calmas.
Deu tudo certo e a obra incrivelmente foi feita no prazo, sem agonias maiores. Só tive os imprevistos normais de qualquer obra. Seria perfeita demais se não tivesse um probleminha para me dar dor de cabeça e me fazer testar o meu perfeccionismo, moldando-o aos padrões mais baixos e me fazendo perceber que nem todos são tão exigentes como eu e que isso tem que ser levado em consideração na hora de avaliar as coisas, pois muitas das nossas manias são desnecessárias e podem ser mudadas para o próprio bem da nossa mente meio doentinha e com padrões de perfeição acima da média.
Eu já sabia disso por experiência anterior, mas comprovei novamente: fazer uma monografia não exige desespero e sim conhecimento do tema que vamos abordar. Escolhi o direito de imagem e a fotografia para traçar minha pesquisa e o resultado me agradou muito. 
Alguém advinha por que escolhi o direito de imagem?
Estava na cara esse tema, não é?
Em poucos dias o trabalho ficou pronto e apto para ser apresentado à banca examinadora da faculdade e os textos que sempre escrevi aqui no blog ainda me ajudaram a ter uma maestria grandiosa nas elaborações dos temas, pois muitos dos aspectos que citei não tinham em livros e nem na internet. Tive que falar a partir do meu conhecimento e usar alguns assuntos parecidos para ilustrar o tema. Terminei criando uma discussão e a minha conclusão terminou parecendo o início de uma nova pesquisa, tamanhos foram os questionamentos que trouxe para o pensamento de todos.
Agora, com a casa arrumada, corpo desintoxicado (sim, pois tive uma intoxicação com um produto que usei para retirar resíduos do piso) e aprendendo a me comportar dentro da minha própria casa, fico feliz e espero direcionar várias ações para construir novos rumos de vida e também para ter mais cautela naquilo que escolhi para a minha vida, já que percebi que nada é em vão se temos controle das situações e se planejamos bem os nossos atos.
Tudo virá e acontecerá de forma plena e saberemos como agir diante de cada ato, obtendo os melhores efeitos para as nossas vidas. Não adianta planejarmos e deixarmos tudo de lado, esperando um dia que nunca chega. A virada somos nós que devemos praticar, todos os dias, sem medo e com a certeza de que o caminho pode ser árduo, mas é possível de ser desvendado se estivermos confiantes e cheios de esperança.
Vamos seguindo...

0 comentários:

Postar um comentário