quarta-feira, 11 de março de 2015

Fazes o Que Gostas?

Jamais deveríamos matar a nossa vontade de realizar algo ou quem sabe atropelar os nossos pensamentos com novas coisas que não superam as anteriores. Agir desta forma é colocar em risco todas as nossas realizações e mascarar de vez as idealizações que temos para nos sentirmos melhor com as nossas ações.
Se temos vontade de fazer algo bem colorido, temos que abusar disso e saturar o nosso olhar com aquilo que realmente nos faz feliz e não ficar achando um placebo para iludir a nossa mente e fazer com que ela acredite que o vermelho tem o mesmo tom do cinza. Isso só nos fará criar uma frustração sem limites e que nunca passará até que o nosso desejo seja realmente satisfeito e nos faça feliz de verdade.
Podemos até achar que isso combina com aquilo para conformar o nosso desejo de mudança, mas sempre iremos saber que a felicidade verdadeira ficou esquecida quando deixamos para trás aquilo que realmente faria a diferença nas nossas vidas e traria um pouco mais de alívio para tantas esperas e privações.
Fazer o que gostamos é altamente satisfatório para o nosso ego, pois é nesse momento que nos sentimos gente de verdade e provamos para nós mesmos a nossa importância e sabedoria diante de muitas situações, pois estaremos agindo por satisfação e sem nos preocuparmos com a opinião daqueles que não sabem o que habita realmente no nosso íntimo.
Algumas situações nos privam destas realizações e terminam acorrentando a nossa sede de mudança, mas a hora nunca tardará e o melhor momento de inovar será oportuno todas as vezes que estivermos dispostos com o seu despertar, fazendo com que seja capaz de fazer parte da nossa vida novamente, iluminando cada olhar e criando uma paz indescritível e cheia de tons diferentes que nunca nos fazem enjoar.
Faça sempre o que gosta, pois o significado da felicidade ficará mais claro e bem objetivo.

0 comentários:

Postar um comentário