terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Nosso Lindo Selfie... #SQN

É tão engraçado essa nova mania das pessoas de usarem o celular para realizarem os mais variados "selfies" contando com a ajuda de um suporte que recebeu o apelido horroroso de "pau do selfie" e agora se consolidou como item obrigatório para qualquer pessoa que necessite realizar uma foto sua ou de alguém especial que esteja ao seu lado.
Mais ou menos assim...
Essa era a regra romântica, mas na prática o que existe é o aproveitamento e uso das pessoas para que a foto "pareça" feliz e sincera. Basta que o registro seja realizado para que a cara feia seja notada ou quem sabe o namorado e a namorada se afastem e fiquem novamente olhando, cada um, da sua forma, para os seus respectivos celulares, pois hoje em dia a comunicação está mais presente nos aparelhinhos do que na voz das pessoas e isso reflete em muitos aspectos negativos e que só atrapalham a relação.
Um "Bom Dia" é bem menos significativo do que o toque de uma nova mensagem no "whatsapp" e os novos aplicativos são mais importantes que as novidades que poderemos ter vivenciado no nosso cotidiano e que não se tornam importantes devido a sua incapacidade de serem "sincronizadas com as demais redes sociais disponíveis".
Quando registrei a foto desta publicação fiquei pensando justamente nestes aspectos da vida e ao observar o trio por alguns instantes notei claramente a intenção de fazer bonito na foto e não de se relacionarem, pois eu não sabia se o rapaz era namorado da menina ou se recebia para ser modelo na foto, pois ela beijava ele, fazia biquinho, abraçava, mas só na foto...
Após estes instantes mágicos, ela o deixava de lado e só tinha olhares para o celular. Talvez ela namorasse com a máquina e ficasse com o namorado nas horas vagas, especialmente naquelas em que o "selfie" fosse necessário para alimentar as redes sociais.
Essa é a realidade de hoje em dia, onde os celulares tecnológicos se tornaram mais importantes que as pessoas e o vício que causam no ser humano transforma relações em verdadeiras agonias, pois ninguém sabe ao certo o que existe de fato e onde o amor está residindo. Precisamos do calor humano, do sorriso franco, do abraço verdadeiro e do amasso necessário.
Pose por pose, é melhor ficar sem registro...
É por isso que prefiro registrar lugares e momentos, pois para estes a verdade não fica comprometida e os retoques não precisam ser feitos nos diversos filtros que os aplicativos disponibilizarem, aumentando ou diminuindo a intensidade da mentira contida nas imagens que só refletem a beleza de uma vida existente nas redes sociais.
A felicidade é mais que isso e merece ser tratada como tal.

0 comentários:

Postar um comentário