sábado, 13 de julho de 2013

Pulinhos

Muitas vezes nos sentimos impotentes diante de tantas demandas diárias e a sensação é que não estamos conseguindo andar conforme desejávamos e parece que ficamos dando pulinhos para conseguir chegar no estágio ideal e que satisfaça as nossas necessidades. Quando falta uma perna no nosso corpo, o equilíbrio fica comprometido e faz com que a nossa capacidade de andar bem seja afetada, surgindo, então, os pulinhos compensatórios que terminam nos ajudando, mas nos deixam mais cansados do que o normal.
Assim também acontece quando não planejamos bem uma atividade, pois deixamos de andar com os dois pés firmes e dessa forma ficamos só pulando de um lugar para outro, buscando a solução de tudo, quando nem sempre conseguimos e ficamos com a terrível sensação de não ter realizado bem uma atividade que nos foi destinada.
Tem gente que aprendeu a "dar uns pulinhos" para resolver as suas broncas, mas saliento que é bem mais construtivo dar passos firmes do que pulinhos e caso isso não seja totalmente possível de acontecer, que pelo menos usemos uma muleta para nos apoiar e fazer com que o desfalque seja menor e mais suportável. Essas muletas podem estar materializadas nas pessoas, nos livros, nas informações ou no mundo que nos cerca, o qual nunca deixa de nos dar dicas e apontar soluções.
O desgaste por atividades mal realizadas é pior do que deixar de fazê-las e isso consome mais o nosso juízo do que não ter a capacidade de realizar algo, pois quando temos a certeza da nossa incapacidade momentânea, uma vez que podemos aprender tudo que queremos, no tempo que programarmos, ficamos mais conformados com os resultados ruins que possam surgir. Quando ocorre um resultado ruim de algo que já somos capazes de realizar, a nossa tristeza é maior e parece que todos os nossos "pulinhos" foram em vão e nos deixaram aleijados e cheios de arestas para arrumar.
Saber como agir é algo importante na vida de cada um de nós e não podemos perder tempo com a realização de tarefas cada vez mais inconformes e desgastantes, uma vez que os resultados bons nos ajudam e os ruins terminam acabando com a nossa carreira ou vida pessoal, nos colocando num momento de muita turbulência e grandes perturbações.
Que pulemos de alegria e não de agonia...

0 comentários:

Postar um comentário