quinta-feira, 2 de maio de 2013

Figuras Irritantes

Encontramos em Salvador algumas figuras irritantes, que podem ser vistas em qualquer lugar, mas nesta cidade possuem um poder maior de fixação e colam feito chiclete no pé de todos nós.
Vamos começar falando da mais popular, que são os Vendedores de Fitinhas, que ficam recepcionando as pessoas e tentando a todo custo vender colares e pulseiras por preços estratosféricos e que não refletem a realidade das coisas. Eles ficam chateados quando dizemos logo de início que não queremos as fitinhas e insinuam que não somos humildes por não querermos aproximação com eles.
Como querer se na verdade eles aparecem de todos os lados e o passeio pelo pelourinho se torna uma agonia se pararmos para dar atenção a todos?. Sem contar que muitos intimidam pela aparência suja, jeito malandro e odor desagradável.
Vamos falar um pouco das Ciganas, que atacam em frente ao Mercado Modelo e ficam querendo ler a sua mão a todo o momento e inventando as histórias mais incríveis para ganharem uns trocados, nem que seja de forma mágica, quando ele some sem que percebamos.
Os Pedintes são muitos e fico me perguntando se estão naquela vida por preguiça ou falta de oportunidade, pois se de um lado não possuem dinheiro para comer, como alegam, sobra recursos para fazerem trancinhas nos cabelos e fumarem seus cigarros incontáveis, sem deixar de lado, claro, o cheiro forte de bebida. Será que a fome é de cana e tabaco?
As Baianas são loucas por dinheiro e se liberamos um pouco, elas tiram foto, sorriem e dão informações. Se não liberamos o preço tabelado, que é R$ 5,00 pelas fotos, elas torcem o nariz, nos ignoram e nem olham para nossa cara. Sou a favor das baianas profissionais, pagas pela prefeitura, para que tirem fotos com os visitantes e acabem de vez com este cartel de rendas, colares e antipatia.
As prostitutas se oferecem a todo tempo e não é difícil passar por algumas delas sem que uma cantada mal dada seja dada, na tentativa de ganhar uns trocados pelo sexo fácil e perigoso, já que a maioria delas dá medo só de olhar. São, na maioria, mulheres feias, desajeitadas e sujas e que somente uma secura de anos justificaria o sexo com alguma delas.
Os Capoeiristas só faltam pegar no seu braço e obrigar você a dar um dinheiro em troca de uma foto, por uma apresentação que é feita na rua, para que todos vejam. Eles gritam logo que aquilo é um trabalho e precisa ser remunerado, causando um certo constrangimento às pessoas que desatentamente registram alguma fotografia.
Os meninos de rua são muitos, de todos os tamanhos, caras e bocas. São malandrinhos, falam palavrões e insinuam ataques a todo o momento; só não fazem o pior porque a polícia está em todos os locais do Pelourinho e só isso já demonstra o perigo que está circulando e que de certa forma estamos protegidos pela ação constante dos policiais, dia e noite. Imagine se fosse menor? 
O Pelourinho seria um lugar intransitável e perigoso.

0 comentários:

Postar um comentário