segunda-feira, 29 de abril de 2013

Hotel, Hostel, Albergue...‏

Quem anda com vontade de passear e gastar pouco por onde anda, não pode deixar de conhecer os diferentes albergues que existem no Brasil, pois nas principais capitais e, principalmente, naquelas onde a história fala mais alto, é comum a presença dos famosos albergues, onde o preço é baixo e as comodidades são variadas, de acordo com o tipo de acomodação escolhida.
A sensação é de estar na casa de um parente, pois o compartilhamento dos quartos, banheiros e espaços comuns é fator primordial para este tipo de hospedagem.
Eu nunca tinha ido, mas resolvi experimentar para ver como era e posso dizer que gostei muito, embora em alguns momentos sintamos falta da privacidade que os hotéis mais tradicionais nos proporcionam. Não é o tipo de hospedagem para quem deseja mimos e comodidades. É aconselhável para quem quer aproveitar a cidade, passear muito e ir para o hotel somente para tomar um banho e dormir.
As vantagens dos albergues são várias, mas a maior delas é que a maioria deles está situado nos pontos históricos das cidades ou em áreas de grande circulação, que os tornam grandes diferenciais na hora da escolha.
Praticamente todos oferecem internet grátis, área de lazer, serviços de translado e cozinha para uso dos hóspedes que desejarem fazer sua própria comida ou guardar algo que trouxeram de casa.
Fiquei num albergue no Pelourinho e gostei muito do tempo que passei lá, seja pela hospitalidade das pessoas que lá trabalham ou pela localização, bem próxima aos pontos turísticos mais importantes, lojas, restaurantes, bancos, paradas de ônibus e centros comerciais.
Fui com o espírito de mochileiro e me deparei com pessoas de todos os lugares e pude perceber que a maioria dos turistas busca economizar na hospedagem e deixar uma reserva para conhecer os pontos turísticos ou realizar uma algumas comprinhas por onde passam. A maioria dos hóspedes são estrangeiros, onde esta prática é bem comum, e num só quarto podemos ter várias línguas sendo faladas, onde cada um monta o seu espaço e descobre a cidade do jeito que entender, com seus inúmeros mapas e anotações de viagem. Aqui no Brasil não há muito esta valorização pelos turistas nacionais e eles ainda preferem as acomodações mais tradicionais e caras.
Vale a pena conhecer estes locais, mas vá preparado para momentos de desapego, onde nem sempre os horários são seus e o cadeado para o seu armário se torna um item mais importante do que a toalha de banho, que aliás, nem sempre é fornecida e você tem que levar de casa.
A economia compensa tudo isso, pois as hospedagens são, em média, 80% mais baratas e podemos utilizar o que sobra com outras coisas mais importantes e que enchem os nossos olhos inquietos por descobertas.

0 comentários:

Postar um comentário