quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Blá, Blá, Blá...

O blá, blá, blá que muitas pessoas fazem diariamente não serve para nada e seria bem melhor se as pessoas parassem de falar besteiras e dessem um descanso aos nossos ouvidos já tão exaustos de tantos barulhos inúteis e evitáveis do cotidiano. É tanto falatório desnecessário que fico me perguntando como conseguem ficar dessa forma, parados no tempo, e sem utilizar momentos preciosos para aprender mais e melhor outros temas e assuntos.
O primeiro blá, blá, blá é falar da vida dos outros e isso é algo que virou uma doença para muita gente que nem entende a sua existência perfeitamente e terminam indo buscar na vida dos outros as respostas que ainda não possuem de si mesmos. Gente medíocre fala dos outros e não com os outros. Gente inteligente interage, argumenta, se informa e busca formalizar respostas antes de ficar falando o que não deve e dessa forma só criar situações ruins e que afetam muitos relacionamentos e minam a confiança que todos nós depositamos nos nossos semelhantes, que de tão desiguais terminam sendo fonte de inspiração para muitas conversas paralelas e sem graça.
Muitos me acham calado demais, mas é que eu não tenho paciência de ficar perdendo meu tempo e voz com determinadas conversas que só me deixam um zero à esquerda no quesito ignorância. Prefiro calar e observar a ser participante de um ato que para mim é sem futuro. Bem melhor é conversar sobre assuntos evolutivos, que favoreçam a todos, que sejam essenciais e que elevem a nossa inteligência nos dando um pouco mais de sabedoria.
Blá, blá, blá por nada ninguém merece e ainda mais quando a conversa é só para encher linguiça e não ter nenhuma consistência maior. A qualquer momento a pele fina que cobre todo aquele recheio de palavras vai se romper e tudo ficará solto como antes e de uma forma ainda mais desordenada e misturada, já que na compactação de informações, a mistura de sabores e temperos foi inevitável, transformando todas aquelas fontes de informações em meros pedaços de relatos que não surtirão efeito benéfico para ninguém.
Saber dosar o nosso blá, blá, blá diário é algo simples de ser conseguido e para isso não precisamos ficar calados, mas simplesmente analisar cada fato e verificar onde realmente há verdade ou mentira para então tomarmos a nossa decisão e dessa forma melhorarmos todos os nossos procedimentos, buscando sempre uma forma evolutiva de humanizar as conversas e relações.
Menos, menos, por favor...

0 comentários:

Postar um comentário