segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Ilhas de Itamaracá e Coroa do Avião

Desde 2005 que não visitava a Ilha de Itamaracá e desta vez fui com o intuito de conhecer a Ilha da Coroa do Avião, que fica bem próxima. Em Itamaracá, a área mais propícia para um dia calmo é onde fica o histórico Forte Orange, que para minha tristeza estava fechado e com aspecto de abandonado. Que façam as escavações arqueológicas necessárias no seu interior, mas que pelo menos a sua entrada fique disponível para visitação. Ela fica tomada por carros, ônibus e uma infinidade de comerciantes ambulantes que fazem de tudo, menos preservar a história do local.
Navegando na embarcação, chegamos até a Coroa do Avião e para minha surpresa o local é bem menor do que imaginava ser e numa rápida caminhada é possível dar uma volta inteira e conhecer tudo. A maré estava baixa e a faixa de terra em uma das suas partes estava bem extensa, o que impedia os banhos de mar com mais ênfase.
Onde a água estava numa altura agradável para o banho, existiam vários impedimentos que faziam dessa prática algo perigoso. Várias embarcações usadas para a prática de esportes ou passeio faziam da praia um local movimento e agoniado. A barraquinha que fiquei para descansar um pouco oferecia uma rede e isso foi algo que me deu até um pouco de paz naquele lugar tão conturbado.
Não era para ser...
A prefeitura de Igarassu, que tem a Ilha da Coroa do Avião no seu município, deveria tomar mais cuidado com um local daqueles e proibir práticas que pudessem danificar o patrimônio coletivo, pois o que vi em muitos lugares foram construções abandonadas, concreto à beira mar e muito lixo acumulado. Uma limpeza no local iria ser muito benéfica.
Não tomei banho. A água não em agradou.
Sua cor escura, devido a mistura da água do mar e do rio e a ausência de ondas, me deram a impressão de que estava num rio e não numa praia de águas salgadas. Até o sabor da água é diferente. Água salobra.
O passeio vale pela beleza do local, para conhecer o que temos no nosso litoral norte e também por nos mostrar que precisamos dar mais atenção ao que é nosso e cuidar para que os visitantes possam ter melhores impressões. Vi muitos turistas estrangeiros, na verdade a maioria. 
Fui visitar também o Projeto do Peixe Boi e o que vi foram peixes armazenados em enormes piscinas sujas, onde não era possível uma boa visibilidade e nem tão pouco ter a impressão de que a visita ao parque valia a pena. O ingresso cobrado se torna um absurdo para a qualidade do que encontramos por lá. Nada demais e muito aquém das minhas esperanças, pois sempre ouvi falar de lá, mas em outra visita não tinha conhecido.
De certa forma esperava mais do passeio e faço das palavras de uma visitante as minhas:
" Na internet parecia bem mais bonito".
Ela tinha razão.

0 comentários:

Postar um comentário