quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Bandida

As personagens que os programas ou novelas nos apresentam diariamente nos fazem perceber que o mundo é cheio de criaturas parecidas e cada uma delas tem manias ou atitudes que nos fazem lembrar o que assistimos na TV, seja pela alegria, maldade, beleza, feiúra ou qualquer outra característica que seja marcante.
Há personagens inspirados em pessoas reais, assim como aqueles que são frutos da criação dos atores e atrizes que com suas cargas de criatividade e sabedoria, fazem a composição perfeita do que idealizam como sério, engraçado ou maldoso. Ontem vi esta fotografia destas bonecas das personagens Valéria e Janete, do humorístico Zorra Total e gostei muito do resultado, pois a riqueza de detalhes impressiona e deixa bem viva a lembrança das personagens. O artista plástico Marcus Baby fez um bom trabalho, algo que já é costumeiro na sua vida, pois já tinha realizado trabalhos similares com outros artistas, sempre com muita aproximação do real.
Existem personagens inesquecíveis e que nunca saem da nossa mente e isso não vem somente dos programas que assistimos, mas dos livros e filmes também.
Para citar alguns tipos inesquecíveis, posso citar: A Bruxa da Branca de Neve, O Chapeleiro Maluco, Odete Roitman, Tancinha, Tina Pepper, Áureo, Babalu, Maria Escandalosa, Tonho da Lua, Ruth, Raquel, Tieta, Viúva Porcina, Victor Valentim, Jacques Le Clair, Rabugento, Zé Colmeia, Chaves, A Bruxa do 71...
São infinitas personalidades e características e todas elas contribuem para muitos aspectos na nossa sociedade, pois os produtos que são licenciados, tendo como inspiração estas personagens são muitos e fazem com que as pessoas possam ter um ganho extra com as vendas dos mais variados artigos, que vão de brinquedos a roupas, com uma infinidade de acessórios e bugigangas.
É engraçada esta infinita elevação comercial, pois os produtos podem hoje valer uma fortuna e daqui a pouco tempo caírem no esquecimento por causa dos outros que irão ser lançados. Com as personagens não é diferente, pois a cada novo programa vão surgindo outras criaturas ou as que já existem terminam ficando com caras de enjoadas e deixam de ser prioridade para o público em geral que sempre está ávido por novidades.
Bandido é o consumo disso tudo e a forma como ele nos aprisiona e nos faz ter atitudes ou usar objetos e acessórios que até então não eram característicos do nosso perfil.
Terminamos sendo bonecos também e de certa forma tendo os nossos gostos controlados por uma onda sem fim de mudanças e que compromete o nosso equilíbrio e nos faz perder um pouco a nossa identidade real, já que algumas pessoas demoram para voltar à realidade e encontrar a si mesmas, por acreditarem verdadeiramente que são outras pessoas, devido ao uso excessivo das atitudes, palavras e indumentárias dos seus personagens inspiradores.
Isso às vezes é engraçado, às vezes...
Se perderemos a noção da realidade, a situação se torna ruim e não merece nosso riso.

0 comentários:

Postar um comentário