quarta-feira, 14 de setembro de 2011

O Pó da Estrada

O Pó da Estrada nos mostra mais do que sujeira, nos traz a vivência dos desafios que passamos e também as pessoas que estiveram ao nosso lado, contribuindo ou até dificultando ainda mais o caminho. O que vale é a nossa evolução nisso tudo e também como aprendemos a lidar com situações que pareciam desgastantes demais e pouco propícias para que tivéssemos a prática da resiliência em nosso meio de atuação, seja em qual área for.
Lidar com as adversidades e com os atropelos dos caminhos são tarefas que nem sempre costumam ser vistas com bons olhos por todos nós, pois geralmente exigem esforço acima da média, algo que nem todos estão dispostos a enfrentar na sua trajetória de vida.
Sacudir a poeira sempre é necessário para que possamos avaliar como ficou o nosso estado vital e se este possui capacidade de evoluir para outros campos ou persistir no caminho que de tão árduo nos fez recuar um pouco ou até dar uma pausa para uma reflexão ou para um banho relaxante, onde podemos lavar a alma e novamente nos preparar para as caminhadas cheias de elevações, poeira e sol ardente em nosso rosto.
Tudo nesta vida tem o seu desgaste e nós, seres humanos, não poderíamos ser diferentes. O que nos diferencia das demais coisas existentes no mundo é que podemos perceber em nós este ciclo de involução e a partir daí criar estratégias para melhorias e adaptações numa vida que não nos deixa quietos e sempre nos tira do lugar comum.
Resiliência não é uma prática, mas uma característica pessoal que possuímos e que nos acompanhará para sempre, nos fazendo ter melhores ou piores resultados em tudo que escolhermos para nós. Pessoas que possuem esta característica sofrem menos, evoluem mais, aprendem sempre e nunca lamentam os equívocos ou contratempos que a vida lhes apresentou e que com maestria souberam conduzir muito bem.

0 comentários:

Postar um comentário