terça-feira, 13 de setembro de 2011

Pare, Olhe, Siga...

Quando vi estas folhas nas cores verde, amarela e vermelho, fiquei pensando sobre os sinais que diariamente temos e que desprezamos o seu valor ou significado.
A vida nos dá sinais verdes para seguirmos, amarelos para refletirmos e pararmos um pouco para organizar nossos pensamentos e vermelhos para cuidarmos de nós com mais intensidade, parando de vez com aquilo que não nos oferece fruto e serventia efetiva para o que somos.
Sinais de vida são iguais a sinais de trânsito, pois ambos nos mostram uma forma de agir diante de uma situação que está diante dos nossos olhos e nem sempre queremos enxergar e ou ter cautela para agir corretamente. Fico impressionado como algumas pessoas arriscam suas vidas por nada e vivem ultrapassando os limites que a vida lhes apresenta, como se isso fosse o combustível necessário para uma vida boa e realmente cheia de saúde e muita satisfação pessoal.
Quando o nosso corpo está bem, tudo funciona perfeitamente e não temos problemas que nos deixem receosos e insatisfeitos com os sintomas que diariamente vão ocorrendo e que nos permitem entender que nós somos uma máquina, que por trabalhar diariamente e constantemente, em turnos ininterruptos, tem o seu desempenho comprometido por alguns instantes e faz com que as luzes acendam de vez em quando para nos alertar sobre as atitudes que deveremos tomar para melhorarmos tudo aquilo que iremos desempenhar, em todos os aspectos da nossa vida.
O vermelho, mesmo sendo uma cor vivaz, nos remete ao perigo e nos chama a atenção para aquilo que é mais instável e inseguro para nós, permitindo que aos poucos tenhamos a possibilidade de tonalizar esta cor e com isso transformá-la em amarelo para que, assim, as reflexões venham à tona e nos façam ter mais domínio daquilo que desejamos realizar ou ser.
Depois desta fase, partimos para o verde, união do amarelo com o azul, que é o pensamento livre e solto. Nesta fase temos certeza do que poderemos realizar e onde pisaremos com mais segurança para que os nossos caminhos sejam ágeis e denotem fluência e não provoquem congestionamentos de ideias, energia e principalmente de defeitos, causando na nossa vida um grande turbilhão de sensações e que nunca nos deixam só.
Pare, Olhe e não deixe de Seguir, nunca...

0 comentários:

Postar um comentário