sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Aquarius, O Filme

Assisti ao filme Aquarius e pude comprovar as diversas informações ao seu respeito, entre as polêmicas antes da estreia até a temática que fala da resistência e da conservação das lembranças que todos nós temos e que deixamos passar devido a evolução da sociedade, que não valoriza o seu passado e vai afastando todas as informações que fizeram parte das suas vidas, onde as lembranças e o significado das coisas termina valendo menos que muitas modernidades disponíveis.
Encontrei no filme aspectos bem relevantes da vida do Recife e de como as pessoas fazem as suas escolhas a partir do modo de vida que escolheram para si. Um aspecto importante a ser lembrado é a forma como o filme retrata a vida de uma moradora de um prédio histórico e que agora sofre com as especulações imobiliárias que afetam a cidade, algo que pode ser bem comprovado nas diversas construções que existem hoje na Avenida Boa Viagem e que alteraram completamente a paisagem de outrora, onde ainda podíamos desfrutar de uma ambiente mais calmo e até sem a ameaça de tubarões.
A personagem Clara, vivida brilhantemente por Sônia Braga, é o destaque do filme e sua solidão não mostra uma pessoas amargurada, mas sim feliz com as suas preciosidades caseiras e que lhes proporcionam todo o conforto físico e mental que ela necessita para viver bem. As demais interpretações apenas ajudam a personagem central a desenvolver seu enredo, mas não fazem aparições brilhantes e nem contribuem intensamente para a história, já que a vida de Clara, dividida em três partes, é o destaque de cada momento do filme.
Hoje vivemos no Recife esta briga pela especulação imobiliária. O edifício onde as cenas foram realizadas na verdade se chama Oceania e junto com o Caiçara foram os poucos resistentes de uma orla cada dia mais edificada. O Caiçara foi destruído há alguns anos, após muitas brigas judiciais, mas o Oceania ainda está lá e chama a atenção de todos pela sua sobriedade diante de tantas modernidades.
A forma como a personagem Clara distribui o seu universo particular, dentro de um castelo chamado Aquarius é grandiosa e mostra que o dinheiro não compra tudo, especialmente a satisfação de viver da maneira como queremos e desejamos. Não podemos nos sentir pressionados a nada e quem achar que pode mudar o nosso caráter pelo dinheiro está totalmente enganado. Quem assume o seu papel na sociedade de forma honesta e séria, jamais terá espaços vazios e poderá sempre usufruir de ótimas lembranças e melhorias naquilo que escolher.
Foi bom ver o Recife tão bem representado num filme de destaque internacional, ainda mais quando a realidade mostrada é bem notada nos nossos dias e não passa de mera imaginação dos diretores de cinema. Kleber Mendonça Filho fez um filme memorável, intenso e ao mesmo tempo com toda a calmaria que necessitava para mostrar uma história de uma mulher forte, mas extremamente doce e educada para lidar com as dificuldades e adversidades que a vida lhe apresentou.
Vamos navegar no Aquarius e desfrutar cada momento desta história incrível e que não nos deixa piscar os olhos um segundo sequer. Eu costumo dormir nos filmes que não me atraem e isso talvez seja um termômetro que meu corpo utiliza para mostrar o que é bom ou ruim. Pois bem, quando fui assistir ao filme Aquarius pensei que fosse dormir, pois estava cansado, meio sonolento, e achei a temática leve demais para o momento. Fui passar o tempo entre uma atividade e outra e ganhei um presente para a vida, não deixando os olhos fechados um só minuto, fator que demonstra o quanto o meu interesse foi grande, já que a energia conquistada pelo deleite do filme foi maior que muitas outras diversões que poderia ter escolhido naquele momento de folga.
Satisfação ao que realmente é válido e nos representa muito bem.
Vamos escutar Maria Bethânia, Roberto Carlos e relaxar.
Quem sabe ler um bom livro ou dormir numa rede confortável...
A satisfação da brisa do mar não tem fim e o desfrute de uma praia tão famosa é o presente que todos nós poderíamos aproveitar. Quem acompanha minhas fotografias, sabe o quanto eu retrato a Praia de Boa Viagem e como cada lembrança dela significa para mim. É neste bairro que moro e que vejo tudo acontecer, às vezes de forma Clara, algumas mascaradas, mas sempre acontecendo.

0 comentários:

Postar um comentário