sexta-feira, 22 de julho de 2016

Passeando por Buenos Aires

Caminito
É o que podemos chamar de favela colorida que ficou "cult". Um monte de construções antigas, margeadas pela linha do trem fazem deste bairro um passeio interessante e propício para quem deseja comprar uma lembrancinha ou os famosos "alfajores" que são vendidos nas lojas a preços e sabores variados. Local onde estão reunidos muitos artistas e onde o visitante pode registrar uma foto com os dançarinos de tango, nem que isso seja apenas pose e não tenha verdade alguma.

Feira de San Telmo
As ruas do bairro ficam lotadas de arte, antiguidades e produtos variados. 

Acontece sempre aos domingos e a dica é pesquisar bem os preços, pois as variações são muitas e nos assustam.

Porto Madero
Boa opção para um passeio e para desfrutar das variadas opções de gastronomia existentes no local. Quem deseja gastar dinheiro em cassinos vai gostar muito. 
É o centro empresarial da cidade e símbolo da revitalização da área mais velha e desgastada da capital argentina, que agora respira novos ares.

A disputada e bela Puente de la Mujer, no Porto Madero

A argentina possui inúmeros carros antigos em circulação. É um detalhe que achei interessante falar, pois aqui no Brasil tal fato não existe e carro velho só atrai colecionadores e ferro velho.

Navio Museu, no Porto Madero

Atividade bem comum na Argentina, que são os "Passeadores de Cães". É bem fácil encontrarmos as pessoas com uma infinidade de animais passeando e domando os eventuais desentendimentos que acontecem entre eles.

Cemitério da Recoleta 
Um local que tem um grande acervo de esculturas sacras e mostra uma forma diferente de guardar os mortos, já que os caixões ficam expostos nos túmulos.
Lá estão "guardadas" muitas personalidades argentinas e o local mais visitado é o jazigo de Eva Perón.



Recadinho para Evita Perón deixado por fãs em seu túmulo...


Gatinho meio antipático no Cemitério da Recoleta

La Floralis Generica 
Uma bela escultura do artista Eduardo Catalano.
Um cartão postal da cidade e muito visitado por quem aprecia arte moderna. Pena que está com defeito e não segue mais o sol para abrir e fechar as suas pétalas.
Em perfeito estado, ela abre as pétalas pela manhã e as fecha no final da tarde.


Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires, MALBA


Os ônibus em Buenos Aires parecem ter saído de desenhos animados ou de filmes antigos. São coloridos e com muitas informações para ajudar quem não sabe para onde ir, já que carregam consigo o nome dos bairros que irão passar, além dos principais pontos turísticos.
Tudo isso escrito de forma fantasiosa e bem evidente.


Breno, andamos tanto para ir a uma livraria?
Sim, mas não é uma simples livraria. 
É o El Ateneo Grand Splendid, um monumento resgatado, onde funcionava um teatro no passado e agora é berço da literatura e da música.


Aqui no Brasil a "Señora Sola" se chama Rapariga...
Este foi um dos diversos anúncios que encontrei pelas ruas. A maioria impublicáveis, pois não eram tão discretos como este.


Obelisco, no centro de Buenos Aires.
Chegamos na cidade no dia da comemoração dos 200 anos de independência da Argentina e a cidade estava festiva e coberta de bandeiras.


Sim, Buenos Aires tem loja física da AVON.


O agitado Microcentro de Buenos Aires. 
Bem parecido com o centro do Recife num dia de sábado. Muitos vendedores de rua, cambistas e tudo mais que a sua imaginação desejar...


O que mais me chamou atenção em Buenos Aires foram as frases que li nos lugares que passei. Interessante comparar as línguas e como cada uma adota significados diferentes para cada coisa. 
Na placa da foto, o significado era "Fim da Zona de Parada".
No Brasil estaria relacionado a detentos, detenção, prisão...
Parece, mas não é igual.
Vivendo e aprendendo.



A bela e sofisticada Galeria Pacífico. 
Centro de compras que impressiona pelas marcas famosas e arquitetura rebuscada.
Vale a visita, nem que seja para passear, porque comprar já são outros pesos (no bolso).


O eficiente Metrô de Buenos Aires.
Há duas partes no infinito labirinto de caminhos subterrâneos, pois a mistura do novo e velho fazem deste meio de transporte um passeio interessante e que nos leva para conhecer um pouco da história da cidade. As estações antigas possuem obras de arte nas suas paredes, azulejos antigos e uma arquitetura bem singular. A parte mais moderna, inaugurada há pouco tempo, possui estações modernas e cheias de tecnologia e conforto.


Casa Rosada
Sede da presidência argentina e abrigo de uma arquitetura bonita e de cor inusitada.


Estações Antigas do Metrô de Buenos Aires
Um acervo lindo, porém mal conservado, de azulejos e obras de arte reveste as paredes dos túneis subterrâneos que nos mostram outra cidade bem agitada.
Muitos azulejos foram roubados e obras de arte danificadas. A cor dourada das pedras que revestem as paredes podem ter chamado a atenção dos vândalos que por ali passaram. Uma pena, mas vale a lembrança do passado que deve ter sido bem sofisticado.


Estação Central dos trens em Buenos Aires
Ponto de partida para o metrô e para as diversas ramificações que ele possui para cidades vizinhas e bairros mais distantes, onde o trem ainda é utilizado, muito utilizado.


Era uma frase de um comercial de pastilhas...
Se fosse aqui no Brasil, talvez o entendimento fosse outro.
Coisas da linguagem que nos desafia diariamente e nos faz medir as palavras na arte da comunicação.
Não há palavra errada, mas sim entendimentos diferentes e muitas vezes distorcidos para cada coisa, em cada canto do mundo.


Preços Maravilhosamente baratos.
Os mesmos itens poderiam ser comprados 10 vezes mais caros, dependendo do lugar, e isso não significava melhoria na qualidade. 
A alimentação na argentina é triste.
Não gostei e me dei mal em muitas coisas, pois a gordura, que é inimiga do meu fígado, estava em tudo e deixou todo mundo meio enjoado da comida repetitiva e pouco saudável.
O cuscuz fez falta, muita falta...


Eu, fazendo pose num antiquário...


Fato: 99% da população canina de Buenos Aires é de animais gigantescos.


Desafio do dia: Comprar alguma coisa com 7 pesos.
Tudo em Buenos Aires é caríssimo e o dinheiro derrete como neve no sol, rapidinho.


Sim, antes que eu esqueça...
Mafalda é a padroeira da Argentina.
Não tem para ninguém e ela bomba em tudo que é canto: altares, feiras, lojas, paredes, camisas, chaveiros, imãs e tudo mais que a imaginação permitir.
Ela se acha a padroeira debochada...

0 comentários:

Postar um comentário