domingo, 24 de julho de 2016

Os Deltas do Tigre


Seguindo o passeio pela Argentina, fomos até a cidade de Tigre, que fica pertinho da capital e tem características bem peculiares e que valiam a visita.
Chegamos num dia sem chuva, porém com um frio inacreditável. 
A sensação térmica não combinava com o sol e parecia que ele não emitia nenhum calor para amenizar o nosso frio.
Foi o dia mais frio até então...


A cidade de Tigre é muito visitada pelo seu famoso Delta, que é formado pelo Rio Paraná, o qual também banha o Brasil. 
Passeamos de catamarã e pudemos conhecer as casas das pessoas que moram às margens do Delta do Tigre. Uma vida bem peculiar e que lembra um pouco as palafitas que encontramos aqui no Brasil, só que de uma forma bem mais organizada e melhorada.


As margens são protegidas por vários materiais que evitam a erosão dos terrenos nos quais as casas foram construídas.
São usados o ferro e a madeira, além de troncos de árvores para evitar que a correnteza destrua tudo. O meio de transporte é o barco e há vários tipos deles: barco hospital, barco supermercado, barco policial, etc...
Todos os serviços são atendidos desta forma.


No labirinto de caminhos que o Delta do Tigre possui, podemos encontrar casas simples, assim como outras construções mais sofisticadas. 
Os preços das casas também variam e a procura é muito grande por pessoas que desejam tranquilidade para viverem meio isoladas do mundo nas pequenas ilhas que formam o local.
Viver no Delta do Tigre não deve ser fácil, já que nada é muito acessível.


Casa mais suntuosa às margens do Delta do Tigre.
A cidade de Tigre possui muitos locais para divertimento que são procurados pelos turistas e moradores de Buenos Aires.
Há parque de diversões, cassinos e muitos museus para serem visitados.
Uma passadinha do Porto de Frutos é obrigatória, já que lá estão as tão desejadas lembrancinhas do local e a estação dos barcos que levam os turistas para os passeios e os moradores para as suas casas em meio as águas do Rio Paraná.
Chegamos lá pegando o metrô e o Trem de La Costa.

0 comentários:

Postar um comentário