quinta-feira, 14 de julho de 2016

Ajuste de Contas

Em épocas de crise financeira, nada melhor do que rever as contas desnecessárias e gastar somente com o que é preciso e que não pode passar batido, pois de excessos a nossa paciência está cheia e isso é um grande fator de preocupação na hora de ajustar as contas, ainda mais quando temos um saldo negativo no final do mês. 
Sempre digo que todos nós temos condições de realizar tudo que queremos e basta ter um planejamento de gastos para notarmos que é possível fazer tudo, dentro do seu tempo, sem ter que ficar gerando dívidas grandiosas e que nem sempre conseguem ser pagas pelo nosso salário cada dia mais afetado por tantos aumentos e poucas melhorias reais na nossa economia brasileira, a qual, por falta de administração, padece a cada dia e se mostra menos confiável.
Ninguém está isento dos gastos excessivos e mesmo quem tem dinheiro de sobra, caso não saiba administrar, sofrerá o mal da falência de recursos e perderá a capacidade de usufruir bem de um recurso que existe para nos satisfazer e não para nos preocupar.
A variação de preços é gritante e basta que tenhamos um pouco de calma ou façamos alguma pesquisa prévia para encontrarmos preços melhores em alguns itens e, dessa forma, economizar e não permitir que sejamos explorados pelo comércio desumano que termina otimizando a crise ao extremo.
O ideal é verificar o que não precisamos ou que pode ser comprado em outra hora, para, assim, deixamos de lado o mal costume de comprar sem necessidade e por puro impulso, sem medir as consequências que isso nos trará de imediato ou em longos períodos de dívidas que nunca acabam e comprometem várias das nossas necessidades futuras.
Um ajuste necessário não faz mal a ninguém e perceber a realidade dos fatos antes de gastar ilimitadamente é bem sadio e só nos faz bem. Digitar a senha toda hora no dinheiro de plástico é bem prático, mas pode nos trazer grandes preocupações que não serão tão fáceis de resolver se os limites estiverem perto do máximo ou o rotativo numa velocidade acima da nossa capacidade de enxergar o óbvio e necessário.

0 comentários:

Postar um comentário