quinta-feira, 17 de março de 2016

Grandioso Desnecessário

Outro dia caminhava por um shopping do Recife e percebi a imensa quantidade de lojas grandiosas, de marcas de luxo, as quais vendem produtos caríssimos e acessíveis a uma parcela AAAAAAAA da população, ou seja, a grande minoria. Eram lojas lindas, bem decoradas, mas com espaços desnecessários.
Num grande salão poderíamos encontrar pequenos objetos expostos e a sensação era de que a loja não vendia nada e criava mais um conceito do que uma proposta real de venda. Talvez os altos preços dos produtos e a exclusividade que possuem justifiquem tais características, pois basta a venda de um único item para a loja já ter um bom dia de faturamento e poder suprir bem as suas necessidades.
Eu gosto muito de sentir a essência das coisas e perceber que uma loja tem vida e pode nos "chamar" através desta característica, pois em muitos casos o que me atrai para a compra é justamente a vitalidade de um espaço, algo que não encontramos muito nas marcas mais sofisticadas, que terminam adotando um padrão mais frio e deixando de atrair uma boa parcela dos clientes, até mesmo os mais abastados.
Uma perfumaria famosa abriu uma loja neste mesmo shopping e na semana passada vi que ela tinha fechado, após, mais ou menos, um ano de operação. Desde que ela abriu eu pensava que não iria durar muito e o motivo era um só: perfumes e produtos de beleza chamam a atenção pelas embalagens, pelas fotos de pessoas bonitas e pela vitalidade. Esta loja tinha na sua entrada uma caveira de verdade e suas embalagens pareciam mais aquelas que encontramos na feira, oferecidas pelos curandeiros que vendem as banhas do peixe elétrico que cura tudo. Tinha cara de laboratório de química e não de espaço de beleza.
Se pelo menos o preço fosse bom, mas custavam valores irreais e bem acima de produtos que temos no mercado, com qualidade igual e até superiores. A marca nem sempre atrai tanto quanto parece e precisamos estar atentos as armadilhas de consumo, pois o preço estratosférico de algo pode nos remeter a um conceito furado e ultrapassado e não representar tanto assim na nossa vida, pois com a crescente industrialização, massificação de produtos e mudanças de comportamento, não fica tão viável pagarmos tão caro por algo que se tornará um encalhe na coleção seguinte.
A falsificação de produtos também atrapalha este mercado de luxo, pois em determinados casos é quase impossível notarmos a diferença dos produtos originais e falsos e terminamos furando o nosso bolso para termos um produto igual ao que a feira oferece por tão pouco. 
Nem tudo que parece é neste mundo de luxo e a pose termina quebrando o salto bem mais fácil do que imaginamos. Basta uma caminhada mais rápida para percebermos que o sapato dura a mesma coisa dos outros e que o mofo de um produto guardado nos dá alergia do mesmo jeito.
O essencial ainda é o melhor...

0 comentários:

Postar um comentário