quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Verba Volant, Scripta Manent

Muitas vezes é melhor escrever do que falar algo, principalmente quando queremos que o entendimento seja melhorado e não distorcido pelas palavras que voam e terminam aportando em lugares errados e que podem não ter as melhores finalidades e aprendizados.
Escutar algo é bem diferente do que ler algo e compreender exatamente o que foi dito, pois geralmente o que escutamos é falado da nossa maneira, às vezes com acréscimos, ou quem sabe com diminuições. Acontece também as distorções, que é o mais comum e que incomoda todos nós. Repassar algo de forma diferente ou contar uma história de maneira pessoal, deixando de lado a verdade é algo bem comum e que acontece diariamente no nosso meio, o que nos faz padecer de um mal terrível que é a mentira e difamação.
Hoje em dia esta doença é ainda bem maior, pois os meios de comunicação procuram ganhar crédito com as notícias fantasiosas e não com a realidade dos fatos, pois parece que o que chama a atenção da população é a mentira e divulgação do que não presta e que só serve para agredir as pessoas que muitas vezes são totalmente inocentes na história.
Já me deparei muitas vezes com anúncios bem gritantes de notícias na internet e jornais, mas quando fui ler o texto com mais exatidão, percebi que nada tinha fundamento e tudo era tratado somente com suposições ou fatos não comprovados.
Um comentário qualquer pode viajar o mundo e ter várias interpretações, mas o que está escrito sofre menos desse mal e termina sendo mais fácil de ser controlado, evitando que soframos com o mal da língua descontrolada e sem nenhum compromisso com a verdade.
O perigo da língua solta é bem menor que o da interpretação errada, embora que os dois fatos possam ocorrer devido a falta de atenção das pessoas na hora de escutar ou ler algo. Pegam o que é mais importante e desprezam os complementos das situações, tornando a união dos fatos uma tremenda confusão.
Não precisamos deixar de falar, pois a comunicação verbal é a que mais estreita os laços, mas é necessário que nas horas mais específicas e que necessitem de uma formalização adequada, a escrita entre em vigor e faça valer a verdade dos fatos e não as distorções de um entendimento mal feito, criado por mentes férteis e que só querem gerar atrito por nada.
Palavras ditas voam, as escritas permanecem...

0 comentários:

Postar um comentário