segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Ei, Galego!!!!

Lendo uma reportagem sobre um cantor que foi obrigado, pelo Ministério Público, a mudar a letra da sua música porque falava da "chapinha" que as mulheres fazem no cabelo, fiquei refletindo sobre a forma que as pessoas hoje tratam a discriminação, que tem mais o perfil de briga e recalque do que de conciliação. Aconteceram denúncias que informavam que a letra era racista e que agredia as mulheres que tem cabelo ruim. E o pior era saber que o cantor sempre cantou a negritude e a mistura de raças. 
Será que ele teve má intenção ou só queria falar de uma realidade?
Bem, se a letra foi mal elaborada eu não sei, pois cada um analisa como pode e com o grau de preconceito que tem dentro da sua mente. Eu não achei nada demais e apenas o artista retratou uma realidade que acontece muito hoje em dia, quando as mulheres, ao invés de assumirem suas carapinhas, preferem alisar e fazer malabarismos para terem os fios mais alinhados. 
Hoje em dia as discriminações raciais estão virando piada, pois tudo é motivo para ofensas e parece que é proibido até olhar para as pessoas, pois logo pensam que estamos tendo observações maldosas e que tentam denegrir a imagem alheia.
Outro dia a minha vizinha jogou lixo na minha janela e quando eu fui reclamar ela disse que eu a estava discriminando porque ela era negra. Eu disse: Estou reclamando porque a senhora é mal educada e não sabe o que é civilidade. Até para a síndica ela foi reclamar... Me poupe! Desde quando ser nojento está relacionado com a raça? Tem gente imunda em todo canto, de toda cor, de toda raça. 
Ei, Galego!!!
É assim que muita gente me chama quando não me conhece e eu atendo normalmente e prontamente digo o meu nome, pois se tem uma coisa que detesto é apelido. Qual a diferença de chamar alguém por: "Ei, Negão!!!"
Ele não é negro?
O fato de chamar alguém pela cor não é uma forma discriminativa, exceto se for usada por pessoas mal intencionadas. Eu deveria me ofender da mesma forma, pois se formos pensar bem grosseiramente, estou sendo discriminado também pela minha cor branca. Deveriam dizer: Ei, Rapaz!!! ou quem sabe para os mais ofendidos: Ei, Senhor!!!
As pessoas perderam o senso da realidade dos fatos e não sabem distinguir o que é ruim do que é bom. Tudo é generalizado e terminam criando ações desnecessárias em órgãos jurídicos que deveriam se preocupar com atos mais reais e não com banalidades.
Se analisarmos as mais variadas músicas que temos na nossa MPB veremos que grande parte delas tem conotação racista, seja para os negros ou para os brancos. Será que vamos proibir a execução de todas elas ou multar os cantores que expressam sua arte através da realidade da sociedade?
Conheço uma música, de uma artista da MPB, que fala de carapinha e de cabelo alisado também. A canção nunca foi vista como ofensiva e talvez isto esteja relacionado ao fato da cantora não ser muito conhecida do grande público. Tudo que é massificado se transforma em piada, pois nem todo mundo sabe lidar com as situações que aparecem e terminam falando besteiras. 
Daqui a pouco, se o cantor for cantar na Globo, vão dizer que a emissora patrocina a discriminação racial. Não duvido nada que isso aconteça... A Globo sempre é a culpada de tudo mesmo, não é?
Seria bem melhor que as mulheres não gastassem fortunas com as chapinhas e isso estaria resolvido, pois o assunto morreria e não teríamos do que falar, já que ninguém desejaria ter o cabelo diferente da sua natureza. 
E o que dizer do branco que faz de tudo para dar um pouco mais de volume aos seus fios e tenta ter uma carapinha digna dos mais bonitos negros africanos?
Não é só o negro que tem cabelo ruim e em ambas as raças temos variação na qualidade dos fios, já que a mistura do Brasil não nos permite distinguir quem é puro ou não.
Somos todos iguais e já está na hora de pararmos com tantas besteiras e viver a vida com mais dignidade. Menos psicose e mais alegria ajuda muito e isso começa quando as pessoas aprenderem a se gostar do jeito que são, sem chapinhas, alisamentos, pinturas e demais artifícios para mudar o que a natureza criou de forma tão sublime.
Mais amor, por favor!
A paciência agradece...

0 comentários:

Postar um comentário