quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Animus Domini

Quando possuímos algo, a tendência é termos mais cuidado e zelo, já que o prejuízo será todo nosso caso venhamos a repor ou fazer alguma manutenção do bem perdido. Na nossa vida particular não temos dificuldade de manter aquilo que conquistamos, mas quando se trata de bens públicos a situação é bem diferente e o que vemos são depredações de coisas que deveriam nos servir.
Sempre que temos o "Animus Domini", ou seja, "agir como o dono", passamos a enxergar melhor as situações e conquistamos mais espaço para realizar coisas boas e que nos ajudam a compreender melhor tudo que precisamos para termos uma sabedoria mais apurada na hora da decisão.
Quando deixamos de conservar um bem público, esquecemos que foi o nosso dinheiro que construiu tudo aquilo, pois do nosso bolso foram recolhidos diversos impostos, seja na tributação do nosso salário ou na hora de realizarmos alguma compra de bens ou serviços. A maneira desordenada que muitos agem é, na verdade, um total desconhecimento daquilo que é bom e precisa do nosso apego, pois nada adianta cobrarmos atitudes governamentais se a nossa parte não é feita corretamente, como cidadãos de bem e engajados com o que realmente interessa e precisa da nossa atenção.
A forma descontrolada que muitas pessoas agem é uma maneira idiota de encarar uma realidade que poderia ser bem diferente se contasse com o nosso apoio e determinação, algo que só favorecesse o bem comum e a convivência ideal entre as pessoas.
Reclamar disso e daquilo quando nem percebemos o nosso papel neste contexto é uma péssima escolha de vida, pois jamais iremos descobrir o que realmente desejamos para todos nós e como iremos favorecer cada situação com a nossa atitude adequada e comprometida com os fatos melhorados e sempre evolutivos.
Agir como o dono é colher frutos bons, enxergando em cada situação as mais favoráveis maneiras de domar o nosso instinto destrutivo, fazendo sempre o melhor para conseguir as saídas para todas as nossas situações ruins e que afetam em cheio a nossa capacidade de crescimento e sabedoria diante das inúmeras controvérsias que encontramos nesta vida.
Tomar as rédeas das situações e agir com cautela em todos os momentos é uma ação cidadã e não somente daqueles que estão nos representando. O exemplo é de todos nós e a capacidade de mudança só acontece quando estamos dispostos a entender o nosso real sentido neste contexto tão complexo e ao mesmo tempo fácil de ser vivenciado.

0 comentários:

Postar um comentário