segunda-feira, 6 de julho de 2015

As Chuvas e o Lixo

Aqui no Recife, as chuvas combinam com preocupação e muita sujeira, pois as ruas alagam e a cidade literalmente se transforma na Veneza Brasileira, fazendo jus ao apelido famoso que recebe para incentivar o turismo. Após as chuvas as ruas ficam destruídas, o asfalto cheio de buracos (ainda mais) e lixo por todos os cantos, já que os rios ficam com os seus níveis mais elevados e consequentemente levam para os córregos e mar o que sobra da podridão que as pessoas insistem em jogar no meio ambiente.
Não adianta falar e reclamar se boas atitudes não são tomadas e se os ajustes necessários são feitos somente na época das chuvas, em caráter de emergência, e não nas épocas mais propícias para tais obras. A cidade fica um caos e sair de casa é uma tarefa complicada e arriscada, pois você muitas vezes não consegue escapatória e nem tão pouco tem garantia de que fará um bom caminho após descobrir por onde seguir.
Os prejuízos são muitos e as pessoas sofrem com tudo isso, já que muitos ficam desabrigados e com prejuízos diversos para ajustar após o período de turbulências e cheias, onde a maré é grande influenciadora. Quem conhece Recife sabe o que estou dizendo, pois em várias áreas a cidade está situada abaixo do nível do mar e quando este tem qualquer aumento no seu volume, o problema está consumado.
As praias ficam sujas e o belo encontro do rio e mar termina se transformando num encontro de problemas e gerando uma paisagem agoniante e difícil de ser suportada. Quem mora nas áreas mais altas também sofre com os deslizamentos de barreiras e com os problemas de moradia e favelização que alguns bairros enfrentam. Há muitas palafitas irregulares nas margens dos rios e quem passa próximo, fica imaginando como as pessoas conseguem viver em um ambiente tão hostil e desorganizado, pois ficam com suas casas quase submersas e isso não tem relação com as chuvas, já que este fator é uma constante da vida de todos eles.
A limpeza da cidade começa a ser feita a cada novo dia de sol, mas enquanto uns limpam, outros insistem em sujar e essa falta de conscientização é o fator mais agravante dos vários problemas que a cidade tem nos períodos de chuva.
Vivemos dias de desordem total na cidade e cada dia a capital do Estado vai ficando mais degradante, desorganizada e sem o cuidado necessário das autoridades. A prefeitura só tem olhos para as ciclovias e esquece que as necessidades da população são outras e precisam ser colocadas como prioridade. Ninguém precisa de muitas obras paradas, mas daquelas que tenham real eficácia e possam atender à população nas suas reais carências e desejos, pois gastar dinheiro com o que não traz efeito social é, no mínimo, falta de bom senso e de visão política. 

0 comentários:

Postar um comentário