quinta-feira, 14 de maio de 2015

O Dancê da Tulipa

Tulipa Ruiz lançou neste mês o seu novo álbum, Dancê, o qual traz 11 faixas compostas por ela e parceiros. Terceiro trabalho de carreira desta artista tão cultuada nos dias atuais, seja pela sua inventividade musical ou timbre vocal bem característico e muitas vezes gritante.
A proposta era trazer um universo mais dançante e se formos analisar os outros dois trabalhos, veremos que houve um aumento gradativo da sua musicalidade, tornando a cantora tímida do CD Efêmera numa artista mais desenvolta e com grandes possibilidades de se tornar realmente mais popular no cenário musical brasileiro, já que muitos ainda desconhecem o seu trabalho, talvez pela forma sofisticada de cantar e de expor as suas composições.
Numa primeira audição do CD, confesso que não vi nada muito especial e achei difícil encontrar o "Dancê" tão anunciado, já que esperava algo bem mais afetado e cheio de timbres inusitados. Esperava também que a faixa "Megalomania" fosse ser inserida no álbum, mesmo que de forma extraordinária para complementar o contexto dançante, o qual já pode ser visto na arte da capa do álbum. Não foi desta vez que isso ocorreu e a música terminou ficando como um bônus de carnaval para aqueles que baixaram a faixa através do site da artista.
Depois de alguns momentos, fui descobrindo o "Dancê" proposto e vi que era bem semelhante aos ritmos dos anos 70 e 80, os quais mesclavam um pouco de música eletrônica e psicodelia nas suas letras. As faixas iniciais demonstram muito isso, mas foi na música "Físico" que a artista fez a sua melhor investida neste momento musical da sua carreira. A voz gritante da artista ficou perfeita na música e não cansou os nossos ouvidos, como em outros momentos da sua carreira, já que em determinadas faixas do seu segundo CD a gritaria criava um desgaste musical desnecessário. 
Felipe Cordeiro foi uma boa opção para a música "Virou" e a sua participação trouxe um pouco do som do Pará, o qual lembra as guitarradas tão presentes nas músicas dos artistas daquela área brasileira.
Eu sou fã da Tulipa e acho que ela é a artista mais empolgante que apareceu nos últimos anos, seja pela sua capacidade de falar besteiras ou verdades nas suas músicas, como também pela forma de tratar a sua musicalidade e trabalhos, sempre muito criativos e cheios de informações grandiosas para todos nós. Admiro ainda mais porque ela canta e compõe, algo que é pouco comum aos artistas que geralmente são bons numa coisa e péssimos em outra. Ela consegue ser ótima nas duas qualidades e nos presenteia sempre com ótimas referências musicais, fazendo com que a o cenário musical atual deixe de ficar tão pobre e receba pérolas raras como a que ela nos apresenta agora.
Não espere um "Dancê" muito batidão. O "Dancê" de Tulipa Ruiz é leve como a própria flor que lhe deu o nome e pode ser sentido de forma plena em todos os momentos das nossas vidas.
Eu "Dancê". E você?

0 comentários:

Postar um comentário