domingo, 1 de fevereiro de 2015

Recife Misturado

Algumas cidades misturam o passado e o presente de uma maneira muito engraçada, pois podemos perceber atividades modernas e outras bem rudimentares em plena comunhão quando passamos por alguns espaços e isso fica bem claro aqui no Recife pois a cidade é banhada por mar e rio, ocasionando uma perpetuação de atividades que já poderiam ter sido extintas mas ainda resistem e podem ser vistas em muitos lugares movimentados, especialmente no centro da cidade onde o antigo e novo se integram com mais força.
Acho interessante quando vejo os pescadores na área urbana e ainda mais porque isso ocasiona uma visão diferenciada da cidade, como em poucos lugares encontramos. Fico imaginando como a região era antes do descobrimento e da sua colonização, pois a beleza deveria ser imensa, já que temos muitas riquezas naturais que ainda hoje hipnotizam muitas pessoas e fazem com que reflitamos sobre as consequências que muitas intervenções humanas causaram no ambiente. 
Se hoje os rios não são tão limpos assim e ainda possibilitam muitos frutos, como a pesca, imagine naquela época de limpeza e pura fartura, onde o desenvolvimento de novas técnicas de fabricação ainda não existiam e forçavam as pessoas a terem mais trabalho do que o normal, nem sempre respeitando o meio ambiente, ao invés de buscar um crescimento que fosse voltado para a perpetuação dos nossos meios de desenvolvimento.
A cidade cresceu, mas notamos que a forma de agir em determinados casos ainda é bem atrasada, porque todos os recursos disponíveis se perderam ou foram mal aproveitados, não gerando um fruto que realmente fosse visto como certo e com ótimas influências.
Este misto de atividades antigas e modernas faz com que muitos lugares possam ter um detalhe diferente, pois temos a possibilidade de notar tudo o que é bom e ruim e quem sabe colher frutos melhores para o futuro que ainda virá, onde poderemos ter a possibilidade de aprimorar as nossas técnicas e quem sabe agir de maneira menos predatória e com mais eficiência.
É inaceitável a pesca num rio tão poluído e mais irreal ainda é ver o homem jogando tudo nele, fazendo com que o lixo seja visto em todas as partes possíveis da sua extensão. Se crescer com evolução é difícil, imagine tendo consciência dos nosso atos, sabendo que deles dependeremos por muito tempo. Esses pescadores que ainda sobrevivem desta atividade, como viverão quando os peixes não existirem mais?
A nossa capacidade de evoluir nos mostrará isso. Se aprendermos bem a lição, ficaremos mais felizes do que nunca, mas se estivermos desatentos aos detalhes, a tristeza poderá tomar conta de nós e nos cegar para as belas paisagens que ainda temos e que ficam bonitas somente nas fotos, sendo grotescas quando vistas de perto.
Como disse Caetano Veloso: "De perto ninguém é normal..."



0 comentários:

Postar um comentário