quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Donos da História

Somos donos da nossa história e cabe a nós fazermos o melhor para que os acontecimentos possam surgir de uma forma atenuada, gerando ótimos resultados e nos mostrando que as nossas colheitas dependerão do nosso plantio de agora, onde todos os esforços possibilitem um desenvolvimento mais pleno daquilo que acreditamos ou pensamos saber bem.
Quando vamos moldando a nossa vida, temos que perceber que em nenhum momento ela será isolada e sempre contará com as contribuições diversas das pessoas que estarão ao nosso lado e farão de tudo para fazerem parte do nosso enredo, seja de uma maneira boa ou ruim.
O centro das atenções será sempre nós mesmos e faremos isso com mais cautela se estivermos atentos aos detalhes que nos possibilitam brilhar sem perder a humildade e calma nos momentos mais conflitantes e que precisam do nosso apego e vistoria constantes.
Quem iremos encontrar, as formas que adotaremos e os deslizes que acontecerão na nossa vida serão de grande importância para sabermos por onde estamos andando e como podemos encontrar saídas para as nossas diferentes formas de observação de um mundo que não para de evoluir e nem sempre nos traz os resultados esperados. 
Não são todas as horas que acreditamos nas nossas próprias atitudes e fazemos isso sem perceber que as escolhas feitas no passado foram as mais decisivas para que muitos acontecimentos pudessem ter efeito real e se tornarem parte de nós mesmos, onde cada nova visão fica mais clara e reflete positivamente em todas as nossas escolhas, ainda que controversas.
Não adianta fugirmos do nosso destino quando já o traçamos de forma bem determinada, seja plantando o que é bom ou semeando o que não presta. A realidade virá em breve e fará com que as desilusões e acertos da vida sejam vistos com maior ou menor intensidade, dependendo do nosso poder de comprometimento. As habilidades que temos hoje não são perenes e temos que nos preparar para os tempos de pouca força ou quem sabe baixa criatividade, por acharmos que já conquistamos tudo e que não precisamos de mais adaptações para vivermos bem e felizes com as nossas escolhas e frutos.
A carne do pescoço pode até ser pouca, mas é saborosa quando desfrutamos bem dela e fazemos desse pequeno prazer uma grande forma de evoluirmos com o que a vida tem de melhor e que pode ser aproveitado a todo momento sem que possamos ficar esperando pelo momento futuro oportuno, o qual muitas vezes nem acontece.
Se ficarmos esperando sempre o melhor momento para darmos início a nossa história de vida, teremos poucas chances de encontramos a felicidade e com ela aproveitarmos o que realmente há de bom e que não precisa de intermédios.
Com um texto primoroso, a peça teatral "A Dona da História" me deu inspiração para escrever hoje e cada palavra dita durante a apresentação mostrava como a vida pode ser bem melhor se estivermos nós mesmos presentes em cada momento, fazendo parte da nossa própria história e jamais deixando que a escrevam por nós.

0 comentários:

Postar um comentário