sábado, 11 de maio de 2013

No Vermelho

Ficamos no vermelho quando algo não está totalmente ajustado e compromete todo o nosso humor, fazendo com que tenhamos reações gritantes para assuntos pequenos.
Engana-se quem pensa que o dinheiro é o motivador disso tudo, pois geralmente quando estamos na pindaíba usamos a expressão "estou no vermelho" para qualificar a nossa total ou parcial indisponibilidade financeira, seja com gastos mais sutis ou que demandem maior investimento.
Avermelhados ficamos quando o nosso sangue corre pelas veias e faz com que a nossa ira seja maior do que a nossa paciência, violando um dos pecados capitais e até fazendo com que as pessoas se afastem da nossa companhia por não gostarem das nossas descargas de mal humor. Mas como ser paciente se na maioria dos casos as motivações são geradas pelos outros e não por nós?
O que fazer quando as pessoas usam desculpas esfarrapadas para tapar buracos arrombados e sem chances de reconstituição?
É bom mandar todos tomarem um banho, se é que me entendem...
Fica complicado para qualquer ser humano ser complacente quando as pessoas insistem em cometer os mesmos erros, ainda que tenham recebido os mais diversos avisos de atenção e conscientização que possamos imaginar.
Para deixar de lado o vermelho e ficar com uma cor mais clarinha, precisamos da colaboração de todos e dessa forma amenizar a nossa fúria que para explodir só precisa de uma chama pequena e que detone toda a nossa mágoa e acúmulos ruins.
Se o bolso fica furado com as dívidas, pior ainda é quando a mente fica embaralhada com as ideias e não consegue formalizar o que de bom a vida tem e como é cheia de saídas e opções, as quais não são descobertas facilmente por nós devido ao grande exagero de acontecimentos que colocam em risco toda a nossa força e determinação.
Viver e sair do vermelho é tarefa complicada, mas precisa ser feita para que não estoure de vez todas as nossas veias e comprometa a nossa saúde de uma vez por todas.

0 comentários:

Postar um comentário