segunda-feira, 13 de maio de 2013

Clássico ou Baixaria?

Final de Campeonato Pernambucano é sempre uma grande festa, mas ultimamente tem se tornado um momento de grande tensão para toda a população que só fica aguardando as notícias ruins motivadas pelos maus torcedores, que ao invés de comemorarem ou aceitarem a derrota, ficam destruindo o que encontram pela frente, causando muito tumulto nas ruas.
Ontem quando cheguei ao Recife, a sensação era de tensão geral e as concentrações de torcedores insatisfeitos com a derrota do Sport eram várias, sempre com um foco de baderna e agitação, seja nas paradas de ônibus ou tentando realizar atos que intimidassem as pessoas que passavam pelas ruas.
Hoje vi no jornal várias notícias ruins sobre o Campeonato Pernambucano e todas elas migravam para a educação das pessoas que não sabem torcer ou aceitar uma derrota, causando grandes problemas a quem não tem nada a ver com a sua indignação e falta de prumo.
Como poderemos imaginar uma Copa do Mundo bem realizada se as pessoas vão aos estádios como se fossem para uma guerra, armados com a raiva e a força de titãs, para realizar o mal e destruir o patrimônio alheio de forma grosseira e sem medida?
Será que o futebol é isso?
Certamente não. Eu nunca gostei de futebol, muito menos de ir para estádios. Já fui algumas vezes quando criança, mas sempre me deparei com confusões e desentendimentos após o jogo, quando os perdedores não aceitam o placar e terminam querendo invadir os vestiários e administração do time para tomar satisfações com os jogadores e técnicos.
A sensação que temos é que o Clássico tão falado na verdade é uma baixaria sem limite e termina comprometendo o ir e vir de muita gente que fica assustada e não sai de casa por nada, principalmente quem reside nas redondezas dos estádios. Não levanto a bandeira para nenhum time, mas fico feliz por qualquer um que ganhe, pois sei que representam Pernambuco. Fico infeliz quando vejo pessoas sendo assaltadas, ônibus sendo quebrados, estádios sendo invadidos, ruas sendo tumultuadas e o medo imperando na cidade, que já tem problemas demais para se preocupar.
O momento é de festa, de comemoração, mas nem todos entendem isso como uma coisa boa e terminam mudando a conotação e transformando a cidade numa praça de guerra, onde times e torcedores ficam mal vistos e tidos como verdadeiros demônios, impondo medo e causando o mal.

0 comentários:

Postar um comentário