quinta-feira, 11 de abril de 2013

O Valor das Coisas

Quanto vale uma camisa?
Quanto vale uma caneta?
Quanto vale um CD?
Sinceramente me pergunto isso diariamente quando vejo a enorme variação de preços de muitos itens que o comércio nos oferece. Um mesmo item pode ter variação de 200% ou 300%, sem que para isso encontremos uma justificativa concreta.
Isso fica ainda mais notável quando comparamos os preços em locais turísticos ou que estão na moda, pois como a ganância é maior que a utilidade, terminamos pagando mais por algo que nem sempre valeria aquilo tudo.
O nosso país tem no sangue a mania de inflacionar os preços e ainda não nos acostumamos bem aos tempos de estabilidade financeira, pois sempre que nos descuidamos, sempre encontramos um abuso, seja em lojas, ambulantes ou comércio eletrônico.
Fica claro em alguns momentos que o preço é irreal e quando encontramos algo muito barato, ficamos logo com o pé atrás e imaginando o porquê de tanta vantagem quando na maioria dos casos os preços estão bem acima da média.
Já comprei produtos por preços que julguei irreais por estarem baratos demais quando fiz a comparação com outras ofertas que encontrei, mas será que mesmo assim não paguei caro?
Se a loja vendeu barato, certamente ainda ganhou algo. Não acredito que nenhum comerciante vá vender perdendo, a não ser que seja um item que encalhou na loja ou por força de uma queda brusca nas vendas que comprometa a saúde financeira da empresa.
Sempre há um lucro, pequeno ou grande, mas há.
O que inflaciona muitas coisas são os impostos, mas as pessoas também possuem este dom e perdem a noção do que é real e terminam gerando uma variação de preços que poderia ser evitada e poupar os nossos bolsos de tantos furos.
Quanto vale mesmo?

0 comentários:

Postar um comentário