terça-feira, 5 de março de 2013

Cuspindo Fogo!

Há momentos em que a nossa percepção da vida e do mundo é bem mais agitada e cansativa do que imaginávamos e parece que diariamente temos que lutar contra um dragão que cospe fogo o tempo todo querendo nos queimar e nos fazer pequenos diante das situações que nos são apresentadas. É complicado lidar com eles e por muitas vezes temos que incorporar o São Jorge guerreiro que existe dentro de nós e batalhar até que a vitória seja conseguida, seja ela com grandes ou pequenas queimaduras.
Na verdade, queimaduras são as piores sensações que podemos ter, pois muitos se queimam, mas a maioria é especialista em queimar os outros e fazer da convivência pessoal um inferno, onde nem a gravidade da lua é capaz de amenizar a situação, deixando as pessoas mais leves e cheias de boas intenções.
Parece que o mundo se acostumou a viver mal e que a selva dos bichos danosos é bem maior do que imaginamos, podendo nos afetar a qualquer momento e nos deixar com o espírito debilitado e cheio de agonias momentâneas que podem se tornar, também, eternas. Conter essa onda de más influências é fácil por algumas vezes, mas nem sempre é assim e terminamos ficando com uma bomba relógio na mão por algumas vezes, tendo que resolver o problema de uma forma benéfica e que não nos cause tantos danos.
Cada mordida que recebemos acomete um pedaço da nossa vida, da nossa motivação, da nossa alegria, mas se estivermos com a imunidade em alta, poderemos ter melhores chances de nos recuperarmos rapidamente, de uma forma menos traumática e que não nos deixe sequelas ruins para o resto das nossas vidas, já que dependeremos de muita vida para melhorarmos todos os nossos caminhos e novas descobertas que o mundo irá nos apresentar.
O fogo quando queima tem o poder de renovar e de acabar de vez com o que até então era ruim e sem fruto, mas o ardor que ele causa é bem grandioso e faz com que muitos não suportem a dor de viver num ambiente hostil e impróprio para a maioria das pessoas que carregam dentro de si uma bondade além da conta, algo que os dragões desconhecem e só pensam em acabar com o que foi edificado de forma saudável e muito trabalhosa.
Muitas vezes a água não resolve o fogo dos dragões, mas uma espada forte e um escudo bem preparado são essenciais para que tenhamos cada vez mais proteção desta espécie tão comum hoje em dia, algo bem diferente da ficção, quando só fazem parte do imaginário das estórias que encontramos por aí.

0 comentários:

Postar um comentário