domingo, 24 de março de 2013

A Paixão de Cristo

A Paixão de Cristo de Nova Jerusalém é algo que se repete todos os anos, mas a emoção sempre é diferente, pois a renovação de atores nos papéis principais faz com que a encenação ganhe novos ares e tenha um diferencial que atraia mais pessoas para a cidade de pedra que fica no município de Brejo da Madre de Deus. 
Em três horas de espetáculo, podemos ter a noção perfeita de como foi sofrida a vida de Jesus e como ele está em cada um de nós, pois se formos comparar as nossas vidas, veremos que muitas vezes passamos por situações e julgamentos parecidos, onde nem sempre os efeitos são benéficos e podem nos trazer muitos sacrifícios, nos ferindo profundamente e sem chances de mudarmos a situação para melhor.
Nos julgamentos de Herodes e Pilatos, ambos não queriam condenar Jesus porque não achavam motivos para isso, mas mesmo assim as pessoas estavam insatisfeitas com a bondade que ele irradiava e espalhava e viram nisso uma fonte de grande poder e que poderia colocar em risco a vida de muita gente que detinha a ambição nas mãos.
Aliás, poder é o que não falta nesta história milenar e seja ele bom ou ruim, contribui para muitas decisões que são tomadas e que afetam a vida de muita gente, principalmente a do filho de Deus, que foi crucificado e maltratado até a morte e tudo isso porque foi fiel aos seus princípios maiores que eram a bondade e o amor ao próximo. 
A cidade cenográfica estava lotada e vi gente de todos os lugares, em caravanas, para prestigiarem uma apresentação que conta uma história simples, mas que muitas vezes é desconhecida por nós que não nos preocupamos em ter a compaixão necessária ao próximo e demonstrar isso nos nossos atos, que deveriam ser sempre revertidos para o bem.
Hoje é Domingo de Ramos, data inicial da Semana Santa, que marca o período em que Jesus sofreu e foi crucificado, deixando para os homens uma bela história de amor para que faça parte dos nossos corações e ensinamentos. Muitas outras cidades de Pernambuco e do mundo fazem a mesma encenação, cada uma do seu jeito e recursos, mas a Paixão de Cristo de Nova Jerusalém vai muito adiante e mostra não só uma encenação teatral, apresenta uma cidade completa, com cenários grandiosos, figurinos impecáveis, iluminação grandiosa e sonoplastia bem montada.
Plínio Pacheco deixou um belo legado para Pernambuco e o espetáculo da Paixão de Cristo mostra isso, pois somente com muita paixão é que se constrói algo tão bonito e rico em detalhes. Vale a pena conferir cada minuto desta bela história.

0 comentários:

Postar um comentário