terça-feira, 22 de novembro de 2011

Não Tive um Imprinting

Pesquisando o significado da palavra“Imprinting”, encontrei o seguinte:
“Amor, necessidade, desejo de proteção, desejo de viver eternamente juntos, amor à primeira vista, ficar completamente ligado a uma outra pessoa.
Grande afeto, sendo como o materno, fraterno ou até mesmo um amor verdadeiro.”

Esta palavra é usada pelos personagens dos filmes da Saga Crepúsculo e demonstram justamente os sentimentos apontados na descrição, mas em mim a sensação foi bem diferente do que escutei das pessoas que são fãs da série de filmes que fala de um amor quase impossível entre um vampiro e uma humana. 
A sensação que o filme me deu foi de sono. 
Dormi durante toda a exibição do filme “Amanhecer” e apesar da plateia delirar com as cenas e aplaudir os momentos mais calorosos entre os amantes, a única sensação que tive foi delirar também com os meus sonhos que duraram mais ou menos duas horas, ou seja, o tempo quase total do filme.
Tive sonhos diversos, calor e frio. Acordei todo retorcido, pois a cadeira não tinha um espaço suficiente para que eu pudesse me espreguiçar mais. Uma pena.
Acordei no final, faltando uns cinco minutos para acabar, e sai do cinema todo desnorteado e só ouvindo os comentários da pessoas que estavam em êxtase por terem assistido mais uma etapa da série.
Já tinha dormido no filme “Lua Nova”, mas mesmo assim fui novamente tentar assistir o novo filme devido aos comentários que as pessoas me falaram, sendo todos de elogio. Não é um filme ruim, mas não me atraiu e nem me fez ter um “imprinting” me deixando apaixonado pelas aventuras de lobisomens e vampiros. Gosto de filmes mais reais e de histórias de verdade, sem fantasias e significados inventados como os que eu encontrei. Todas as vezes que me aventurei em assistir filmes deste tipo, Morfeu veio e me levou para o mundo dele e terminei ficando sem entender o enredo e todas as suas contribuições para a humanidade, ciência, tecnologia e psicologia.
Eu fiquei sem estes requisitos e talvez tenha ficado mais inculto, menos informado e mais burrinho, mas isso eu só saberei com o tempo...
Por enquanto não vou me preocupar com isso e ficar somente com a lembrança dos filmes mal assistidos e muito bem dormidos, onde cada gota de sangue derramada pelos vampiros faziam morrer dentro e mim o interesse pela série.
Não foi dessa vez que fiquei apaixonado e tive um amor à primeira vista pela série...
Talvez eu tenha que ser mordido e me transformar num vampiro para poder despertar o interesse pelo tema. Mas como quero viver muito ainda, vou deixar isso para o esquecimento e buscar novas sensações para as minhas investidas na sétima arte.

0 comentários:

Postar um comentário