segunda-feira, 26 de setembro de 2011

O Barbeiro de Ervilha

Ontem vi o espetáculo infantil "O Barbeiro de Ervilha" no Teatro de Santa Izabel e só tenho palavras de elogio para descrever o trabalho que foi mostrado para a plateia que lotou o local para ver um caso de amor contado com muita confusão, sincretismo e musicalidade.
O Projeto Petrobrás trouxe ao Recife a montagem e possibilitou que o público assistisse a uma grande show por um preço simbólico, quase de graça, num teatro fabuloso e rico de detalhes. O grupo foi aplaudido de pé por vários minutos e ficou a sensação de "queremos mais " em todos que estavam presentes, inclusive em mim. Era um teatro com música e isso fazia com que todos se envolvessem e até cantassem as músicas que foram aproveitadas do nosso folclore e nos levavam a várias partes do Brasil através dos seus ritmos característicos.
Tinha nobre, plebeu, interesseiro, diabo, padre, bobão, inteligente e em alguns momentos tínhamos a impressão de estar assistindo ao "Auto da Compadecida", pois havia uma santa chamada "Nossa Senhora do Mandacaru", que guiava a todos e fazia com que a paz reinasse nos momentos mais ruins.
Os personagens simples, mas com uma montagem bem elaborada, figurino, cenário, iluminação e sonoplastia impecáveis fizeram a diferença para os presentes que não tiravam os olhos um só minuto de todas as cenas e com elas riam e sonhavam acordados.
A ópera que vimos foi bem diferente e adaptada à cultura do Brasil, pois aqui os ritmos são misturados e fazem com que as pessoas tenham gostos diferenciados em cada parte deste imenso país continente.
Que pena que a temporada foi curta e só nos resta esperar que outras visitas possam ocorrer e que esta maravilhosa adaptação novamente volte ao Recife.

0 comentários:

Postar um comentário