segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Útil Fútil

Alguns produtos nos parecem inúteis e fúteis numa primeira análise, mas com o tempo podemos até mudar de opinião em relação a isso ou até achar uma funcionalidade que ele não tinha para as nossas vidas. Muitas das coisas que adquirimos dependem muito da nossa necessidade, mas também são motivadas pelo nosso prazer em ter algo que nem sempre é necessário ou que nos ajudará a ter melhores formas de convivência profissional ou pessoal.
Às vezes uma dor nas costas nos remete à necessidade de termos algum eletrodoméstico que nos ajude nas atividades caseiras, assim como uma nova máquina fotográfica nos ajuda a captar as imagens que a antiga já realiza tão bem e que a compra de uma nova será apenas para satisfazer o nosso ego e com isso alimentar o nosso fútil desejo de ter além do que necessitamos.
É normal que tenhamos sempre mais do que necessitamos e isso vai se tornando uma premissa na vida de todos nós que perdemos a noção do que realmente é essencial para a nossa vida, que de tão cheia de excessos termina sendo influenciada pelo consumismo desenfreado e que não leva a lugar nenhum, somente ao endividamento e a preocupação na maioria dos nossos dias que já são tão conturbados e nem precisariam de mais uma agonia.
A futilidade que a sociedade impõe de forma mascarada às pessoas é algo impressionante, pois desde cedo as crianças aprendem a dar valor ao que é desnecessário e que nem precisa de tanta atenção. Na minha infância fui criado de forma diferente e nunca tive determinados costumes que hoje vejo nas pessoas logo cedo e que só contribuem para desmerecer o que realmente é bom e ideal para a vida e convivência social.
Na minha opinião nada é fútil, mas as pessoas sim.
Elas não aprendem a ter na vida sentimentos necessários para as coisas que aprenderam a ter, seja com as suas possibilidades naturais ou com as oportunidades que surgiram de maneiras diferentes e que também contribuíram para a construção de um ser que dá valor ao que é movido pela necessidade ou ausência dela, gerando sempre um conturbado entendimento do que é Útil ou Fútil.

0 comentários:

Postar um comentário