sábado, 3 de dezembro de 2016

Quitação

Após ajustarmos todos os nossos controles e excessos, chegamos ao fim do mês...
Época boa de verificarmos como andam as nossas finanças e como gastamos o nosso dinheiro neste período, pois se há algum tipo de sobra, significa que soubemos pagar tudo com o que ganhamos e tivemos fôlego para deixar algo reservado para as emergências surgidas.
Nem todos agem desta forma e o que mais encontramos são pessoas atoladas em dívidas que só crescem e fazem com que todos os dias sejam vistos como intermináveis, já que nestas horas ficamos remoendo cada centavo malgasto e pensando naquilo que poderíamos ter evitado.
Muitos de nós somos o retrato do Brasil e mostramos nas nossas organizações financeiras as piores desordens possíveis e imagináveis. Não adianta sortear as contas que deveremos pagar, mas escolher corretamente como iremos empregar o nosso dinheiro para que ele seja suficiente para tudo e possa nos satisfazer naquilo que mais é necessário, deixando de lado as fantasias cotidianas e que não possuem graça nenhuma.
Manter o nível das contas é bem necessário para todos nós e favorece cada momento de paz que vivenciamos diariamente, pois não há nada pior do que ficarmos matutando e não encontrando soluções para as dívidas crescentes e que não nos possibilitam ter planejamentos futuros.
Quem deve demais e não planeja suas contas, termina somente vivendo para pagar contas e não tem sequer a capacidade de organizar sua vida para melhores desempenhos e satisfações vindouras. 
Uma desordem financeira nunca possibilita que tenhamos expectativas de vida, já que o hoje compromete o futuro e este termina não existindo por estar totalmente obscuro e sem o mínimo de visibilidade e possibilidade. Reclamar não adianta e precisamos ter atitude e dedicação para mudar qualquer aspecto negativo neste sentido, o qual só nos afasta dos caminhos certeiros e nos remete para um labirinto de situações ruins e sem o mínimo de efetividade.
Está quite com você mesmo?

0 comentários:

Postar um comentário