segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Caguete

Entregar os outros por nada é tarefa fácil de ser realizada por quem gosta de ver o circo pegar fogo, mesmo que muitos inocentes possam padecer do mesmo pecado que cometeram os injustos. Quem não tem limites para a língua ferina, termina não entendendo as maneiras adequadas de realizar as ações necessárias e nas horas certas.
Delatar alguém que faz algo errado para que o mal seja punido é uma atitude de cidadão, mas falar sem medidas e sem a devida precaução, só fazem com que as mais variadas situações sejam criadas e transformem a vida de muitos inocentes em verdadeiros infernos, onde o mal-entendido vale mais que a verdade dos fatos e as mentirinhas de ocasião são mais fortes que as verdades pontuais.
Muita gente se acostuma a falar de tudo e de todos e nessa mania ruim que aprendem, terminam perdendo o limite do que é bom e necessário, além de não terem a noção dos prejuízos que podem causar pelo simples fato de omitir ou aumentar dados.
A verdade precisa existir, mas com cautela e sensibilidade para ser usada nas horas adequadas, onde o fruto será o melhor possível e não causará danos a quem não tem a menor ligação com as loucuras que muitos inventam e distribuem de forma gratuita e descarada.
Antes de ser o alcaguete do mal, sempre é bom analisar cada fato e descobrir a real verdade de cada um, pois se assim não for, ficaremos sem saber como agir corretamente e só criaremos muitos problemas. A delação só deve existir se for para gerar justiça e não vingança ou maldade como geralmente encontramos, já que as pessoas ainda confundem sentimentos banais com a razão dos fatos que devem prevalecer em todas as situações que a vida nos apresenta, ainda mais quando o destino ou a imagem de alguém estiverem em jogo.

0 comentários:

Postar um comentário