quarta-feira, 4 de maio de 2016

With Lasers

O nosso olhar diz tudo e muitas vezes mata ou ilumina uma pessoa num segundo, sem que isso seja notado pela grande maioria que não tem a atenção necessária para os detalhes que a vida apresenta e que precisam da nossa intervenção diária.
A vontade que temos de observar o mundo e de tirar as nossas próprias conclusões determina isso, pois é normal deixarmos algo esquecido no tempo como também darmos a atenção efetiva e nunca limitada, fazendo dos nossos momentos pura carga energética através do olhar.
Era tão bom que com um olhar fulminante pudéssemos desmaterializar tudo aquilo que nos deixa tristes ou até fazer cara de alegria quando o nosso olho capta o que é bom e nos traz harmonia.
Nem sempre é assim...
Temos que algumas vezes fazer olhar de paisagem, vista grossa, olho gordo, passar uma vistinha, olhar de lado, acalmar o olhar, piscar... Tudo isso para formalizar ainda mais o que enxergamos e não entendemos direito ou quem sabe para aceitarmos melhor os desaforos que nos são apresentados e que não nos adaptamos bem, seja por indignação ou por incompatibilidade dos princípios básicos da convivência humana.
Ideal é olharmos tudo com calma e ter a oportunidade de sempre desfrutarmos de boas sensações com o olhar, fazendo com que ele sempre cruze ótimos horizontes e nos faça perceber que nada é tão ruim assim que não precise de um novo olhar, de uma nova percepção; algo que nos traga de volta aquela sensação boa de um primeiro olhar satisfeito e nunca decepcionante.
Olhe novamente, quem sabe a cena muda!

0 comentários:

Postar um comentário