quarta-feira, 4 de novembro de 2015

BLZ, Mano!

A forma agoniada de escrever, aliada à preguiça e a falta de instrução, fazem com q muitos absurdos sejam lidos nas diversas formas de comunicação q temos hoje disponíveis, ainda mais se levarmos este aspecto p o universo dos smartphones, que possuem teclados minúsculos e fazem com que um texto grandioso e cheio de acentuações seja visto como uma tarefa árdua e muito trabalhosa.
Confesso que só tenho apego aos detalhes gramaticais qdo estou escrevendo no meu notebook, mas quando me deparo com o celular, termino usando muitas abreviações e não acentuando as palavras que costumeiramente sei a grafia correta. Fico um pouco angustiado com isso, pois escrever errado não é muito a minha vontade e quando isso acontece é porque tenho total desconhecimento da grafia ou não pesquisei a minha dúvida em algum meio de comunicação disponível para saber exatamente como algo se escreve e não passar batido em algumas situações.
Tds nós erramos um pouco nesta vida, mas o fato de vivermos escrevendo de forma errada por preguiça ou pressa, termina nos deixando vulneráveis às armadilhas que aparecem diariamente e que podem comprometer a forma eficiente de nos comunicarmos e escrevermos, já que num dado momento poderemos perder d vez a noção de como as palavras são escritas e, dessa forma, acreditar na banalidade das nossas frases erradas e textos incompreensíveis, seja pela falta de continuidade ou de conhecimento verdadeiro do que escrevemos.
Beleza, agora é "BLZ". Não pode ser "naum". Porque pode ser "pq" e assim vamos vivendo e criando palavras diferentes, muitas vezes incompreensíveis para aqueles que não possuem contato direto com o mundo virtual e extremamente ágil que estamos inseridos. É meio complicado travar uma conversa muito alongada num aplicativo de smartphone e fico passado quando vejo alguns textos escritos pelos dedinhos ágeis das pessoas que conheço. Ainda não cheguei a esta excelência e termino trocando letras ou abreviando outras para diminuir o meu sofrimento nestas conversas que nem sempre me encontram desocupado para um diálogo + longo.
A variedade d palavras q a nossa língua nos oferece é bem grande e pode ser ajustada às nossas necessidades sem q tenhamos q ficar o tempo todo criando frases sem sentido e que só formalizam ainda mais a nossa falta de compromisso com a comunicação clara e objetiva.
Kkkkkkkkkkkkkk pode substituir a palavra "rindo" e OK logo é entendido como "tudo certo". Essas até que são admissíveis, mas outras q vejo por aí só nos fazem ter vergonha alheia e temer pelo futuro destas pessoas q diariamente se acostumam a escrever errado e d toda forma, engolindo palavras e fazendo da língua portuguesa um trocadilho que muitas vezes ñ leva a nada e faz com q 1 palavra qualquer seja substituída, fazendo com q além da leitura tenhamos que ficar adivinhando o q a pessoa realmente queria dizer. 
Tô e "estou" são iguais na linguagem usual, embora uma delas nem exista gramaticalmente e ganhe vida apenas n forma falada e ñ na escrita. "Blz mano, eu tô feliz c teu sucesso..."
Sucessão de erros e de enganos que nunca acabam e q precisam do nosso empenho para ganharem momentos reais e q nunca sejam esquecidos por nós, já que, como eu, muitos ainda são adeptos da boa escrita e leitura e vejo isso cada vez mais sair de moda para dar espaço aos diálogos das figurinhas e das palavrinhas inacabadas e mal interpretadas.
Escrevi neste texto alguns exemplos do que falei, mas ñ fiz em excesso para ñ dificultar o entendimento e comprometer o que queria passar. Evitei os erros grosseiros que vejo para meu blog não ser mal interpretado. Kkkkkkkkkkkkkkkk
Blz Mano?

Texto inspirado na música "Firmeza?!" do CD A Mulher do Fim do Mundo, da cantora Elza Soares.

0 comentários:

Postar um comentário