sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Depressão Congênita

Fala-se muito sobre a depressão nos dias atuais e para quem já conviveu ou convive com o mal, já sabe os sintomas que este pode nos proporcionar e causar ao nosso bem-estar. Acredito que todos nós somos depressivos e o que difere o sintoma da doença é a maneira como cada pessoa se adapta ao mal e faz com que ele possa interferir menos ou mais nas suas vidas.
Ninguém é feliz o tempo todo e quem vive rindo em demasia é porque tem algum problema psicológico. Alegria demais também é patologia e está associada a uma forma de estar inerte a uma realidade que todos nós temos e que está presente em todas as nossas vidas, contribuindo para as nossas alterações de humor cotidianas.
A felicidade pode até ser uma constante, mas não é constante...
O ser humano feliz e bem resolvido não aparece todos os dias nas nossas vidas e sempre bate aquela sensação de cansaço que nos acomete naquelas horas mais improváveis. O trabalho, as relações humanas, o barulho do trânsito, o canto dos pássaros, a beleza do dia, o luar ou qualquer outro acontecimento da vida podem remeter à depressão e isto não está relacionado ao fato das coisas serem divinas, mas porque a nossa mente não está preparada para receber tais influências e por isso entra em surto, gerando grandes agonias e fazendo com que o acúmulo de informações se transforme em um sentimento ruim, que nos perturba e nos faz ficar cansados da vida.
Nunca tive depressão, mas já fiquei depressivo. Todo mundo já ficou e quem me falar que nunca teve um sintoma qualquer, estará mentindo e falando besteira, já que, dependendo da causa, a tristeza e a indisposição para a vida podem nos perseguir.
Um relacionamento doentio, um chefe mal educado, uma vizinha barulhenta, uma conta atrasada ou até a morte de um artista famoso podem nos deixar tristes e isto vai influenciar cada pessoa de uma maneira e num surto maior de loucura poderemos até desenvolver uma alegria momentânea para cada caso.
O que queria falar hoje é que a depressão existe para todos nós, mas infelizmente nem todos sabem lidar com ela. Alguns conseguem brincar na praia com ela, mas outros se afogam e isso vai gerando as mais diversas situações que temos conhecimento e nos fazem crescer ou ficar no fundo do poço em busca de ajuda, a qual nem sempre é eficaz e termina comprometendo as nossas vidas.
Se alguns precisam de remédios pesados para aliviar a dor de uma depressão profunda, outros só precisam aliviar o peso da vida e serem menos importunados com tantas situações desnecessárias que diariamente convivemos e somos obrigados a engolir.
Melhor mesmo é agir com cautela em todos os sentidos e encontrar a solução melhorada para os nossos destinos, ainda que estes pareçam complicados demais e sem solução aparente. Um olhar atento pode nos mostrar que a depressão imaginada não passa de uma leve sensação de tristeza e que pode ser aliviada com um ato simples e bem dosado, sem neuras e com muita inteligência.

0 comentários:

Postar um comentário