quinta-feira, 9 de julho de 2015

A Importância da Vida

Bem, vamos ao que importa...
Nem sei ao certo o que realmente importa nesta vida, pois num dado momento pensamos que isso é essencial e em outro já não tem importância nenhuma. A serenidade de encontrar as melhores saídas para os nossos altos e baixos é de grande validade para sabermos o que tem finalidade, valor e pode ser contado.
Algumas pessoas podem até nos interpretar mal, nos enxergar como um vilão, como alguém insano ou até insensível, mas digo uma coisa: somente nós sabemos onde o sapato aperta e quais são as atitudes que nos desgastam e nos fazem pensar duas vezes sobre muitas pessoas e situações. É muito fácil criticar alguém ou alguma atitude, mas se não nos colocamos no lugar do outro e nem procuramos entender cada forma de atuação, ficaremos constantemente achando que fulano ou beltrano é um saco, uma pessoa ruim de se conviver.
Não paramos para pensar que a nossa forma desregulada de agir pode afetar severamente os relacionamentos que passamos anos para construir e que muitas vezes o que os outros precisam de nós é de um pouco de espaço para que possamos respirar e se sentirem verdadeiramente únicos, eles mesmos.
Quando convivemos com as pessoas de uma forma mais intensa, aprendemos a identificar os defeitos e qualidades que cada um possui e dessa forma saber o que nos agrada e nos deixa tristes. Não podemos, porém, deixar que as pessoas percam a sua essência e sejam totalmente destituídas de uma vida que se acostumaram a ter e que de alguma forma fazem parte das suas essências, sejam elas estranhas ou bem usuais.
Todos nós somos estranhos e ninguém é perfeito totalmente a ponto de ser visto uniformemente por todos. A importância real da vida consiste em descobrir os meios mais eficazes de moldar nossos instintos e saber até quando eles estão sendo benéficos para nós e para os outros. Não podemos depositar nas pessoas tarefas e responsabilidades que são nossas e sempre saber que as rédeas da nossa vida são nossas e não daqueles que estão ao nosso redor. Cada um assume o que pode ou tem interesse de assumir. Importante é sabermos o limite de cada ato tomado para que a interpretação não seja gradativa e afete o bom convívio que foi criado durante muito tempo.
Isso é importante e merece ser lembrado...

0 comentários:

Postar um comentário