quinta-feira, 6 de novembro de 2014

A Força Necessária

Com a evolução dos celulares, agora temos pequenas máquinas capazes de quase tudo e que nos ajudam a resolver muitos assuntos diários, seja uma conversa com um amigo, uma mensagem urgente para o trabalho ou quem sabe um pagamento utilizando o aplicativo disponibilizado pelo nosso banco. O que ainda não ficou totalmente concretizado nesses aparelhinhos apelidados de smartphones é a força da bateria, que é facilmente consumida pelo grande número de aplicativos que utilizamos para satisfazer as nossas mais diversas necessidades.
Se pararmos para pensar um pouco, veremos que estamos ficando cada dia mais dependentes deste tipo de aparelho e que em pouco tempo todos os que existem no mercado serão munidos com os mais diversos aplicativos e com acesso à internet, algo que é completamente fora de cogitação para muita gente que gasta fortunas para ter o modelo mais atual e cheio de recursos, nem que estes nem sejam usados constantemente ou não apresentem funcionalidade real para as suas vidas, O importante é ter a tela cheia de ícones que nos levam aos mais variados desejos de consumo.
Tenho saudade do tempo que a carga do meu celular convencional passava uma semana para ser gasta e eu me preocupava apenas em enviar, receber ligações ou quem sabe passar uma mensagem eventual para os meus contatos. Hoje o danadinho não lhe deixa em paz e lhe convoca a cada minuto para que você possa observar as atualizações dos seus amigos e também dos aplicativos que baixou na sua pequena máquina de entretenimento.
E a bateria?
Bem, esta não suporta tudo isso e fica precisando de auxilio diariamente ou quem sabe mais de uma vez por dia, fazendo com que os donos desses aparelhos fiquem quase escravos de um cabo de força ou de uma tomada para conectá-lo nos momentos disponíveis do dia. Em algumas situações a disputa é muito grande e basta ver algum local público e perceber como as tomadas estão literalmente "tomadas" por gente ávida por força para as suas baterias, evitando que os seus smartphones percam a eficácia e possam ficar sem a comunicação com o mundo e todas as suas atividades.
Acho que a invenção é perfeita, prática, ágil, mas ainda não pensaram numa super, hiper, mega bateria para capacitar todo este emaranhado de informações e fazer com que sintamos real conforto naquilo que desempenhamos, utilizando os nossos dedinhos ágeis nas telas sensíveis ao toque. 
Queria olhar para a tela do meu celular e ver a carga da bateria sempre indicando que a potência está boa e não aquele piscar irritante que fica nos lembrando que a qualquer momento a nossa diversão vai acabar. Precisamos evoluir com as baterias e torná-las mais fortes para suportar tantas informações e energia, pois somente assim os nossos "aparelhos da alegria" serão válidos e cheios de eficácia.

0 comentários:

Postar um comentário