domingo, 24 de julho de 2011

Back to Black

Ontem recebi sem muita surpresa a notícia da morte da cantora Amy Winehouse e posso dizer que agora ela está bem melhor do que antes, já que sua vida estava afundada nas drogas e vícios que só afetavam a sua vida pessoal e profissional. Ela descansou.
Gostaria muito que ela permanecesse conosco por muitos outros anos, mas da forma como estava vivendo era impossível ela conseguir ter uma vida melhor e mais evoluída, pois o seu corpo já reagia de forma assustadora aos efeitos das drogas e basta compararmos fotos do seu início de carreira para as que atualmente estavam sendo publicadas para notarmos como ela não soube lidar com a fama e também com as oportunidades que a vida lhe proporcionou, sejam estas boas ou ruins.
Ela teve uma carreira meteórica, mas seu talento desde cedo foi notado por todos e o sucesso que fez, mesmo tendo tantos declives na vida, fez com que uma legião de fãs pudessem lamentar muito a sua morte ontem à tarde.
Em Janeiro quando ela veio ao Recife para realizar um show, não tive a oportunidade de assistir, pois já tinha viagem marcada e estaria fora da cidade. Foi uma pena, pois admiro demais o trabalho dela e acho a sua voz algo grandioso, de grande destaque e difícil de ser esquecida. 
A música Back to Black, "De volta ao Luto" , é a minha preferida e todas as vezes que escuto passo a gostar mais da cantora e da sua forma peculiar de cantar. Seu visual era muito diferente e inspirada nas mulheres dos anos 50, criava um penteado exagerado e que se tornou a marca registrada da cantora que aos 27 anos deixou um legado conturbado e que não deve servir de inspiração para ninguém, exceto pelas ótimas músicas que cantou.
A maior inspiração que tenho, em muitas coisas que realizo, são oriundas da música e a cantora me fez viajar muitas vezes no seu ritmo e voz marcantes, já que era difícil não ficar encantado com o seu grande talento vocal. Observar as fotos dos últimos dias de Amy é como presenciar cenas de um filme de horror e em alguns momentos pensamos se são reais ou não, haja vista o grande declínio que podemos notar nas imagens.
Era cedo demais para ela ter ido, mas tenho certeza que seus dias agora estão melhorados e o seu jazz poderá ser escutado por muitas outras gerações, que certamente irão admirar a cantora com todas as suas qualidades musicais. Vai ficar a saudade e hoje lembro a primeira vez que a vi cantar num programa da MTV. Eu estava ocupado em casa, mas a TV estava ligada e só pude escutar a sua voz. Corri para a sala de TV para ver quem era aquela cantora e desde aquele momento percebi que algo bombástico estava por vir.
Foi bomba mesmo e Amy explodiu cedo demais, não deixando espaço para que seu corpo pudesse se recuperar da grande avalanche de resíduos que acumulou durante todos estes anos de drogas pesadas e cheias de malefícios.
Back to Black estão todos os seus fãs...

2 comentários:

Adriana Melo disse...

Fantástica as suas palavras, Breno! Eu gostava das músicas, da voz, das letras, enfim... da Amy, mas nunca fechei os olhos pras loucuras q ela fazia, com a rotina q fazia. Vamos combinar q era mesmo uma tragédia anunciada e talvez o fato dela mesmo ter se desrespeitado tanto, em tantas situações, sua vida, sua saúde, seu corpo, sua dignidade e moral; tenha dado brecha pra mesmo em sua morte (q é sempre um momento triste, de perda), se ver, por ex., as piadas dispararem na internet na mesma velocidade da trágica notícia. Enfim, na vida é assim: "Cada um colhe o que planta". É mesmo inegável o tesouro que ela deixou, pelo talento q tinha e certamente seu legado de fãs faz parte de uma colheita por coisas boas que ela fez (como sua música). No entanto, ao se envolver com drogas, bebidas e escândalos, ela tbm colhe um tanto de coisas ruins (como as piadas) e penso q tbm não se deve condenar as pessoas por brincarem com isso, já que ela mesma pareceu brincar com sua própria vida. Não subestimemos Amy, ela não precisava de ninguém pra desreipetá-la, além dela mesma. Infelismente esse foi o caminho ela seguiu... Que seja então lembrada por seu inegável talento, mas que o exemplo de suas más escolhas, q resultou em seu fim trágico, jamais seja esquecido. Que Deus a receba com seu sublime amor e que ela agora siga na PAZ.

Anônimo disse...

Excelente narrativa garoto! Parabéns!!
Edson Velame

Postar um comentário